Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Direitos Fundamentais dos Povos Romani: AMSK/Brasil acompanha as discussões da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais do Conselho Nacional do Ministério Público

Imagem
Desde 2013, a AMSK/Brasil vem acompanhando as discussões promovidas pela Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais (CDDF), do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), buscando pautar o tema dos direitos dos povos romani. A Comissão foi criada em  3 de abril de 2013 , com o objetivo de elaborar estratégias nacionais para o aprimoramento da atuação do Ministério Público na defesa dos direitos fundamentais, em sintonia com as diversas previsões constitucionais e legais que conferem ao órgão o poder e o dever de agir  como agente  de transformação da realidade social. Em 2013 e 2014, a AMSK/Brasil participou do  I e do II Encontro Nacional do Ministério Público e Movimentos Sociais - ambos   realizados em Brasília-DF - acompanhando especialmente os temas da Proteção à Saúde e Enfrentamento ao Racismo , garantindo a incorporação do tema dos povos romani nos Relatório Finais. Na ocasião em que a Comissão de Direito Fundamentais lança o Relatório Final do II Encontro Naciona

FRENTE NACIONAL CONTRA A REDUÇÃO DA IDADE PENAL

Imagem
Amigos, Há alguns anos, a AMSK/Brasil, tem se dedicado a luta por políticas públicas adequadas, políticas sociais aplicadas e melhor qualidade de vida, saúde e cidadania para os Povos de Etnia Romani no Brasil.  Para isso não podemos perder as gerações futuras dessa diversidade maravilhosa que e xiste em nosso país. Hoje, nosso pais vive um retrocesso político, social e porque não dizer social. A tentativa de REDUÇÃO DA MAIOR IDADE PENAL, passa pelos mais pobres, pelo extermínio da população negra e indígena e também pelo racismo institucional que continua condenando tantos ciganos à invisibilidade. Sabemos bem, que os mais abastados financeiramente não cumprirão esse papel. A distribuição da culpa sem que se dê cumprimento devido ao SINASE ( Lei Federal 12.594/2012 em 18 de Janeiro de 2012) E AO ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)é totalmente eleitoreiro e oportunista. Queremos uma polícia mais bem preparada e remunerada, que consiga proteger o

FRENTE NACIONAL CONTRA A REDUÇÃO DA IDADE PENAL - EU FAÇO PARTE!

Imagem
A AMSK/Brasil faz parte! CARTA DE ORIENTAÇÕES DA FRENTE NACIONAL CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL PARA OS MILITANTES E AS ORGANIZAÇÕES DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇA E ADOLESCENTE A Frente Nacional contra a redução da maioridade penal foi criada por iniciativa de militantes da área da infância de vários estados brasileiros, com o intuito de unificar as diversas ações espalhadas pelo país, tendo como premissa que "juntos e organizados somos mais fortes". Nosso objetivo é fortalecer os grupos já organizados e promover a criação de frentes regionais, municipais e estaduais onde não existam, objetivada em impedir a aprovação da redução da maioridade penal. Além de organizar um grande ato unificado em Brasília contra a PEC 171/93. A Frente é constituída por militantes, especialistas, movimentos sociais, entidades representativas da sociedade civil, representantes do poder legislativo e executivo nas esferas municipais, estaduais e federal que atuam em

A FORMAÇÃO É O CAMINHO - AMSK/Brasil realiza primeira etapa de capacitação com equipe da CAPEMISA SOCIAL

Imagem
Nos dias 15 e 16 de abril, no Rio de Janeiro, a AMSK/Brasil realizou a primeira etapa de capacitação da equipe da CAPEMISA SOCIAL, instituição que recentemente estabeleceu parceria conosco e vem fortalecendo suas ações de promoção dos direitos dos povos romani (ciganos). O grupo, formado fundamentalmente por assistentes sociais e profissionais da área de comunicação da instituição, participou da Oficina Rom, Calon e Sinti - Os assim chamados ciganos: conhecendo os povos romani do Brasil . Para grande parte das pessoas ali presentes, foi o primeiro contato com a temática - o que nos colocou o desafio de apresentar um panorama breve, porém qualificado, da atuação da AMSK/Brasil, da realidade dos povos romani, dos avanços e desafios na área das políticas, da legislação e da geração de dados. A Oficina também incluiu atividades do Projeto Kalinka , uma iniciativa da AMSK/Brasil agraciada com o Prêmio Educação em Direitos Humanos - 2014. Por meio da arte-educação, o Projeto Kalinka 

18 de Abril - Mobilização contra a Redução da Maioridade Penal

Imagem
Sim. É preciso discutir, mobilizar e, principalmente, conscientizar a ampla parcela da população brasileira que se mantém alheia a esta importante discussão sobre a PEC 171/1993 que pretende reduzir a maioridade penal. Em Brasília, no último sábado, dia 18 de abril, um grupo de instituições e pessoas realizou uma ação na Rodoviária com o objetivo de divulgar informações precisas sobre este tema, conscientizar e, principalmente, sensibilizar corações e mentes... Porque, afinal, estamos falando de NOSSAS CRIANÇAS, das CRIANÇAS BRASILEIRAS que merecem cuidado e proteção. Como afirma o Secretário Nacional da Juventude, Gabriel Medina: "De acordo com números da Unicef, de 21 mil adolescentes, apenas 0,03% cometeram um ato com intenção de tirar a vida de outra pessoa. Isso não é significativo, porque se constrói uma ideia de que as mortes são cometidas por adolescentes em sua maioria, e não é verdade. O jovem, na verdade, hoje é vítima da violência. Se olharmos o mapa da violê

PEC 171/93 - NÓS SOMOS CONTRA

Imagem
                  Dizer não a PEC 171/93 é deixar claro que existe uma boa parcela da população brasileira que não se curva ao sentimentalismo barato e oportunista, de quem acredita fielmente que seu próprio filho é melhor que o filho do outro, que esse é um país que ainda aceita CIRCO E PÃO como pagamento de cidadania.                  Há tempos as coisas vem andando na onda do ... o meu é melhor, sigam o meu exemplo. Enquanto o número de jovens, crianças e adolescentes MORTOS não para de CRESCER. Não se trata de querra partidária, se trata de discutir EDUCAÇÃO de fato. Cadê a movimentação para pagar melhor os professores??? Onde está a guerra contra o Narcotráfico, que depois de engolir os meninos pobres e ricos de 16 anos, certamente vai recrutar os de 10 anos?                  Precisamos abrir os olhos de tal maneira, que a dor de uma mãe não pode ser maior que a de outra. Que a criança branca que levou um tiro e morreu, não seja santificada em cima da dor de milhare