Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

APRECI/PR e CEBRAS

http://www.yumpu.com/it/document/view/19604103/jornal-agosto-sitepdf Na página 08 do jornal do CEBRAS (Conselho Mediúnico do Brasil), edição de agosto/2013 mais um desdobramento do Brasil Cigano – A APRECI/PR e o CEBRAS, firmam um convênio em prol da luta contra o preconceito, a discriminação e o estereótipo. O Povo Romani agradece.  Essa parceria reforça outras ações feitas no Brasil e que levam para um caminho de união e de CONHECIMENTO.  A ignorância gera preconceito e é através da união, do respeito e do entendimento, que as coisas andam. AMSK/Brasil

Sesau realiza I Encontro dos Povos Ciganos de Alagoas

Imagem
Outro desdobramento do Brasil Cigano, agora em Alagoas. A força dos mais jovens vão abrindo caminho onde ninguem conseguia passar. Sem firulas, com ações, arregaçando as mangas, com esforço próprio e apenas com um pensamento: Somos todos irmãos. Deu certo e dará muito mais, esse é apenas o começo e está acontecendo em todo o Brasil. Para lutar por políticas públicas é preciso entender que a discórdia e o isolamento não levam a nada, apenas reforçam o preconceito e o estereótipo. Ruiter e Anne Kellen, lovaras, gente que faz acontecer.  AMSK/Brasil Sesau realiza I Encontro dos Povos Ciganos de Alagoas  http://www.saude.al.gov.br/ciganos/noticias/sesaurealizaiencontrodospovosciga Encontro busca fortalecer o intercâmbio entre as comunidades ciganas de Alagoas e o acesso às políticas públicas de saúde Foto: Olival Santos Cigano José Ruiter proferiu palestra sobre a cultura cigana em Alagoas Repórter: Fabiano Di Pace Para fortalecer a iden

Aparecida realiza I Conferência Promoção da Igualdade Racial

Imagem
 Quando se olha para o futuro, se retira a mediocridade e a ignorância do caminho, se constrói uma via de saída. Essa foi a primeira vez que um indivíduo da comunidade rromani é recebido, aceito e apoiado em Aparecida de Goiânia. Sabe porque?  Construir é o caminho e o Sr. Alexsandro Castilho fez isso. Juntou forças, colocou um dedo de sacrifício, apostou no respeito e abriu as portas da sua comunidade para o diálogo, apesar das diferenças.  Esse é mais um desdobramento do Brasil Cigano, abrindo as asas. AMSK/Brasil Aparecida realiza I Conferência Promoção da Igualdade Racial 22/07/2013 - 16:08 Aparecida de Goiânia, 22 de julho de 2013 – A Prefeitura de Aparecida realizou neste final de semana, dias 20 e 21, a I Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial do município. O evento aconteceu na Faculdade Sudamérica e contou com a presença de diversos segmentos representativos, historicamente vitimados pela violência e preconceito, como quilombo

DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE OS POVOS ROMANI NO BRASIL: AVANÇOS E RETROCESSOS

Imagem
Verdade seja dita. Desde 2009, uma importante fonte de dados sobre os povos romani (ciganos) no Brasil é a Pesquisa de Informações Básicas Municipais – Perfil dos Municípios Brasileiros (MUNIC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A MUNIC tem periodicidade anual e abrange o universo das prefeituras dos 5.561 municípios brasileiros. Em 2010 esta pesquisa não foi realizada, em razão da prioridade dada ao Censo Demográfico. Porém, em 2009 e 2011 a MUNIC levantou dados inéditos sobre os povos romani no Brasil, pois incluiu perguntas sobre a existência de acampamentos ciganos nos municípios e sobre a implementação de políticas públicas municipais para este segmento. Parece pouco. Afinal, com estas perguntas, a MUNIC levantou dados sobre uma realidade que, atualmente, atinge segmentos minoritários dos povos romani, ou seja, grupos que ainda vivem acampados. Aliado a isso, há o problema da subnotificação, pois a coleta dos dados da MUNIC é feita em consulta

Projeto de Alfabetização de jovens ciganos Calón na cidade de Florânia/RN

PALESTRA: Ciclo de Debates Ciganos: Uma história invisível. Projeto de Alfabetização de jovens ciganos Calón na cidade de Florânia/RN Das tendas às telhas: a educação escolar das crianças ciganas da Praça Calon – Florânia/RN.¹ Prof. Ms. Flávio José de Oliveira Silva² Saudação inicial, Em primeiro lugar, quero dizer da minha alegria em participar de um evento desta magnitude para o enfrentamento à invisibilidade, a intolerância e o combate ao preconceito que sofrem os   povos nômades, ciganos do nosso país e do mundo. Nosso desejo é que ocorra com mais brevidade, a reparação de direitos, que sofreu nosso povo vitimado por um processo de colonização e consequentemente, o empobrecimento material dos grupos sociais menos favorecidos no contexto da nossa história... ... Venho de Natal, capital do Rio Grande do Norte, trazendo o abraço fraterno de muitos amigos ciganos e mobilizadores sociais, militantes e educadores que se imbuíram na luta