Pular para o conteúdo principal

Aparecida realiza I Conferência Promoção da Igualdade Racial

 Quando se olha para o futuro, se retira a mediocridade e a ignorância do caminho, se constrói uma via de saída. Essa foi a primeira vez que um indivíduo da comunidade rromani é recebido, aceito e apoiado em Aparecida de Goiânia. Sabe porque? 

Construir é o caminho e o Sr. Alexsandro Castilho fez isso. Juntou forças, colocou um dedo de sacrifício, apostou no respeito e abriu as portas da sua comunidade para o diálogo, apesar das diferenças. 

Esse é mais um desdobramento do Brasil Cigano, abrindo as asas.

AMSK/Brasil

Aparecida realiza I Conferência Promoção da Igualdade Racial

22/07/2013 - 16:08
clique para aumentar
Aparecida de Goiânia, 22 de julho de 2013 – A Prefeitura de Aparecida realizou neste final de semana, dias 20 e 21, a I Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial do município. O evento aconteceu na Faculdade Sudamérica e contou com a presença de diversos segmentos representativos, historicamente vitimados pela violência e preconceito, como quilombolas, ciganos, índios e integrantes de religiões afrobrasileiras.
O evento teve como tema a "Democracia e desenvolvimento sem racismo: por uma Aparecida afirmativa" e foi idealizado pela Assessoria Especial de Políticas de Igualdade Racial e Direitos Humanos do município, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. A abertura oficial contou com a presença do vice-prefeito Ozair José (PT), além de diversas lideranças locais e regionais.

A abertura foi marcada pela tradicional "puxada de rede" e desfile das mulheres do Jardim Cascata. Como atração cultural houve apresentação da Banda Visual Ilê, do Bloco Cultural Afoxé Onilewá, Grupo de Capoeira Roda Grande, o grupo de rap Expressão do Gueto e Trtilha e do grupo de Hip Hop Mr. Gil.
Em seu discurso, o vice-prefeito Ozair José lembrou das diversas obras voltadas à inclusão, como as 73 casas do Residencial Vila Delfiori, destinadas à comunidades quilombolas, a implantação do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) e do campus da Universidade Federal de Goiás, que será iniciada ainda este ano. "Nossa administração tem a preocupação de melhorar a qualidade de vida da poopulação como um todo e isso passa pelo desafio de promover políticas públicas para a promoção da igualdade racial e de gêneros", enfatizou Ozair.
Escolha de delegados e estratégias de atuação
Durante a conferência, além da escolha dos delegados para as conferências estadual e nacional, foram definidos também quatro Grupos de Trabalho: o grupo de Estratégias para o Desenvolvimento e o Enfrentamento ao Racismo; outro para Políticas de Igualdade racial em Aparecida de Goiânia – Avanços e Desafios; o terceiro para tratar de Arranjos Institucionais que assegurem a sustentabilidade das políticas de igualdade racial, fórum de gestores, conselhos e ouvidorias; e o quarto para Participação Política e Controle Social.
O assessor especial para Políticas de Igualdade Racial e Direitos Humanos do município, André Luiz de Souza, lembrou que Aparecida foi uma das primeiras cidades a criar uma pasta destinada a trabalhar políticas sobre o tema. “Foi uma conquista para a cidade, que tem carrega tantos traços de nossos antepassados em sua cultura”, frisou.
"Estamos cada vez mais unidos na luta contra o preconceito contra as religiões afrobrasileiras que, infelizmente, ainda é muito forte em Aparecida. Nossa cultura é milenar. O uso da água benta, por exemplo, foi instituída por nós, assim como a ‘corrente do sal grosso’ ou a tradição de vestir de branco na sexta-feira. Existe um uso deliberado da desinformação para a autopromoção, baseado na exploração de preconceito contra o povo que ergueu este país e isso infelizmente ainda é muito forte", discursou José Luiz Dias, presidente do Conselho das Associações de Umbanda e Candomblé do Estado de Goiás.
A Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Aparecida foi realizada com apoio do Ministério da Promoção de Igualdade Racial; PUC-GO; Universidade Federal de Goiás (UFG); Universidade Estadual de Goiás (UEG); Câmara Municipal de Aparecida; Secretaria de Estado de Políticas para Mulheres e Promoção de Igualdade Racial (Semira); Faculdade Sudamérica e do Grupo de Muheres Negras Dandara no Cerrado. Os delegados eleitos neste final de semana representarão os pleitos do município nas conferências estadual e nacional, previstas para os meses de agosto e novembro, respectivamente.
PRESENÇAS – Também participaram do evento, o deputado federal Rubens Otoni (PT); o presidente da Câmara dos Vereadores de Aparecida, Gustavo Mendanha (PMDB); os vereadores Ezízio Barbosa (PMDB), que também preside a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, e delegada Cybelle (PSDB); além dos secretários Eliezer Guimarães (Cultura e Turismo), Ozéias Laurentino Júnior (Comunicação), Euler de Morais (Governo e Relações Institucionais) e Valéria Pettersen (Projetos e Captação de Recursos); e presidente regional da Associação de Instituições Coletivas Românicas (Aicron Brasil-GO), entidade representativa da cultura cigana no Brasil, Alexsandro Castilho.

 http://www.saude.al.gov.br/ciganos/noticias/sesaurealizaiencontrodospovosciga

Fonte: Frederico Noleto - Secom
Foto: Fabiano Araújo

Postagens mais visitadas deste blog

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

O Dia Nacional do Cigano, 24 de maio, foi instituído por Decreto Presidencial, 25 de maio de 2006, como ação afirmativa para salvaguarda e o respeito a cultura de um povo que faz parte do processo organizativo brasileiro.
As ações da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK) desde o ano 2009 tem se dedicado ao levantamento, sistematização e ampla divulgação de informações sobre o Povo Rom (os assim chamados ciganos) quanto as suas especificidades, tradições, necessidades, condições de vida e obstáculos enfrentados no acesso a direitos fundamentais. E tem pautado os poderes públicos brasileiro para a necessidade do fortalecimento das capacidades dos agentes públicos para interpretação dos direitos e adequação dos serviços relacionados ao atendimento dessa parcela da população brasileira.
A Secretaria de Gestão Estratégia e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou no dia 10 de novembro de 2016, a cartilha Subsídiospara o Cuidado à Saúde do Povo Cigano, elaborada pelo De…

RNPI MANTEM A LUTA EM DEFESA DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Carta aberta ao Ministério dos Direitos Humanos sobre Recomendações ao Brasil feitas no III Ciclo do Mecanismo de Revisão Periódica Universal (RPU) 
A REDE NACIONAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA, articulação nacional de organizações governamentais e não-governamentais, comprometida com a defesa e promoção dos direitos das crianças de zero a seis anos de idade, analisando as Recomendações do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas vem expor e requerer o seguinte: 
1. A Revisão Periódica Universal (RPU), criada pela Assembleia Geral da ONU em 15 de março de 2006, pela Resolução 60/251, é importante instrumento para que os 193 Estados membros das Nações Unidas, de forma cooperativa, avancem no cumprimento de suas obrigações de direitos humanos; 
2. Conforme preconiza o artigo 227 da Constituição Federal de 1988, compete à família, a sociedade e ao poder público a proteção integral de crianças e adolescentes no Brasil, além de consagrar nesta Carta Política outras garantias fundamentais como a…

INFORMATIVO ATENDIMENTO A POVOS CIGANOS NO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS

Como desdobramento da Oficina “SUAS e o atendimento a Povos Ciganos”, realizada no dia 28 de junho de 2017, a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social (SNAS/MDS) lança o Informativo “Atendimento a Povos Ciganos no SUAS”com o objetivo de subsidiar os profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no atendimento adequado aos Povos Ciganos, respeitando suas tradições e cultura. Conhecer um pouco das especificidades dos Povos Ciganos auxilia no combate à discriminação, preconceito e racismo institucional, propiciando maior visibilidade a este povo e garantindo o acesso a benefícios, serviços e direitos.
O documento é resultado do trabalho realizado pelo Departamento de Proteção Social Básica da SNAS/MDS com a colaboração da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil). Fomentar a aplicação da política pública de assistência social para o Povo Rom – os assim chamados ciganos – no país. 
A AMSK/Brasil agradece a todas/os do Povo …