Pular para o conteúdo principal

AMSK/BRASIL E A PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE DEFESA DA INFÂNCIA E JUVENTUDE DO MPDFT REALIZAM SEMINÁRIO APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO PROJETO DIÁLOGOS


O projeto Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: perspectivas e desafios a partir da resolução nº 181/2016 do CONANDA desenvolvido entre os anos 2018-2019 pela AMSK/Brasil em parceria com o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA) e Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos promoveu atividades de formação continuada, mobilização social e pesquisa em cinco cidades do país (Brasília – DF, Recife – PE, João Pessoa – PB, Belém – PA e Porto Velho – RO) para a difusão e o aprimoramento das possibilidades de aplicação da Resolução nº 181, de 10 de novembro de 2016, do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA).
As atividades realizadas com e sobre o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente (SGD) destes quatro estados e do Distrito Federal possibilitaram o levantamento de informações sobre as condições reais e as reivindicações de melhorias do atendimento ofertado às crianças e aos adolescentes de povos e comunidades tradicionais, assim como às realidades de vida destes sujeitos junto aos seus grupos étnicos.
A Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil) realizou no dia 3 de julho de 2019, em parceria com a Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e Juventude do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, o Seminário de apresentação dos resultados do projeto.
O evento contou com a participação de a Promotora de Justiça Rosana Viegas de Carvalho; a Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente, e Secretária Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Petrúcia de Melo Andrade; o Secretário Adjunto da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, Esequiel Roque do Espírito Santo; a Presidente do Conselho Distrital dos Direitos da Criança e Adolescente, e Subsecretária de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Distrito Federal, Adriana Farias; a Coordenadora da Frente Parlamentar da Primeira Infância da Câmara Federal, Deputada Federal Leandre Dal Ponte, e do Presidente da Comissão de Direitos Humanos, Deputado Distrital Fábio Félix.






O público participantes contaram com o lançamento de três publicações, com distribuição gratuita:
- Relatório do projeto Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: Perspectivas e desafios a partir da Resolução nº 181/2016 do CONANDA. Autores: AMSK/Brasil, CONANDA, SNDCA/MMFDH.
- Intercessões de Direitos Humanos e Empresas com os Direitos das Crianças e dos Adolescentes. Organizadores: Assis da Costa Oliveira & Flávia Scabin.
- Levando os direitos de crianças e adolescentes a sério: parâmetros e recomendações para os tomadores de decisão envolvidos com obras e empreendimentos. Organizadores: Assis da Costa Oliveira & Flávia Scabin.
AGRADECIMENTOS
A Presidenta da AMSK/Brasil, Elisa Costa, apresenta seus agradecimentos:
Quero agradecer de forma pontual e destacada a todas e todos pertencentes a Povos e Comunidades Tradicionais que fizeram parte dessa trajetória desde dezembro de 2015, com os jovens indígenas, ciganos, faxinalenses, quilombolas e geraizeiros. Com as crianças de matriz africana e povos de terreiro, ciganas, quebradeiras de coco, indígenas, geraizeiras, faxinalenses, marisqueiras, quilombolas e pescadoras artesanais que ajudaram a construir este caminho.
Quero lembrar a todas e todos aqui presentes que um sonho sonhado por muitos, um dia se encontra. Não importa o tempo, os séculos e os anos. A violência não nos rouba o sonho.
Mas é chegada a hora de nós nos alimentarmos de humanidade. Vivemos tempos de exclusão explícita, de aculturamento e de imposição de valores que nos retira a humanidade.
Esta Resolução nº 181/2016 do CONANDA rompeu com a invisibilidade da exclusão social imposta as nossas crianças e adolescentes de Povos e Comunidades Tradicionais.
Rompeu com ignorância e rompeu principalmente com parte do racismo institucional e do racismo social/coletivo.
O que precisamos agora é avançar para que a Resolução nº 181/2016 alcance todos os mecanismos de proteção as crianças e adolescentes.
Não podemos aceitar nossas crianças sem registro civil de nascimento, sem escola, sem casa e sem teto, sem direito a sua herança religiosa, sem direito aos sonhos de qualquer criança. Sem digital, sem memória e sem dignidade.
Se nos é negada a nossa identidade, nos é negado o direito de existir dentro da construção dessa nação.
A AMSK/Brasil agradece:
Ao Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA), e a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos pela parceria na realização do projeto “Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: perspectivas e desafio a partir da Resolução nº 181/2016 do CONANDA”.
A Promotora de Justiça Luisa de Marillac e a Promotora de Justiça Rosana Viegas de Carvalho; aos assessores de apoio institucional Andressa Dias, Rebeca Ribeiro, e Bruno Soares; a Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e Juventude do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios pela parceria na realização do Seminário de apresentação dos resultados do projeto.
A Profa. Dra. Maria Lúcia Leal, Diretora do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da Universidade de Brasília (CEAM/UnB), e a Profa. Ana Paula Penante, do Núcleo de Infância e Juventude do CEAM/UnB pela parceria na realização do DIÁLOGOS Brasília, Distrito Federal, no dia 3 de maio de 2018, no Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília, campus Darcy Ribeiro.
Ao Prof. Dr. Humberto Miranda, Diretor da Escola de Conselhos de Pernambuco; a Profa. Dra. Maria José de Sena, Reitora da Universidade Federal Rural de Pernambuco; e ao Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de Pernambuco, Presidente Arnaldo Sampaio, pela parceria na realização do DIÁLOGOS Recife, Pernambuco, no dia 31 de julho de 2018, no Auditório da Biblioteca Setorial – Manuel Correia de Andrade da Universidade Federal Rural de Pernambuco.
A Mãe Tuca e Renato Bonfim, diretores da Casa de Cultura Ilê Asé D’Osoguiã; a Diretoria do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba; ao Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-brasileiros e Indígenas da Universidade Federal da Paraíba; a Profa. Dra. Maria Patricia Goldfarb, líder do Grupo de Estudos Culturais da Universidade Federal da Paraíba; e ao Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente da Paraíba, Presidente Josiana Francisca da Silva pela realização do DIÁLOGOS João Pessoa, Paraíba, no dia 5 de setembro de 2018, no Auditório 411 do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba, Campus 1 João Pessoa – PB.
Ao Dr. Ricardo Washington Melo, Coordenador da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Pará (CDDCA/OAB-PA); a Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pará; e ao Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente da Pará, Presidente Genésio Oliveira pela realização do evento DIÁLOGOS Belém, Pará, no dia 2 de outubro de 2018, no Auditório da Ordem dos Advogados, Seção Pará.
Ao Dr. Esequiel Roque do Espírito Santo, Coordenador da Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Rondônia; a Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Rondônia pela realização do DIÁLOGOS Porto Velho, Rondônia, no dia 27 de novembro de 2018, no Auditório da Ordem dos Advogados, Seção Rondônia.
Agradecimentos a Profa. Jamilly Cunha e ao Prof. Assis Oliveira.
Agradecimentos a todas e todos participantes nos eventos Diálogos realizados, pela partilha de conhecimentos e contribuição de ideias para garantir a promoção e proteção integral de crianças e adolescentes pertencentes a Povos e Comunidades Tradicionais.
A toda equipe da AMSK/Brasil - Marcia Vasconcelos, Elisabete Martinho, Sonia Reis, Anne Kellen, Fátima Marques, Priscila Godoy, Ruiter Cerqueira pelo apoio e colaboração. A Ariadyne Acunha e Lucimara Cavalcante pelo êxito na execução do projeto Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: perspectivas e desafio a partir da Resolução nº 181/2016 do CONANDA.
  
MOMENTOS DO SEMINÁRIO












Postagens mais visitadas deste blog

AMSK E A COMISSÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL – SECCIONAL RONDÔNIA REALIZAM DIÁLOGOS SOBRE A RESOLUÇÃO 181/2016 DO CONANDA

A Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil), o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA), Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério dos Direitos Humanos, e Ministério dos Direitos Humanos, realizou no dia 27 de novembro de 2018, o workshop Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: perspectivas e desafios a partir da resolução nº 181/2016 do CONANDA, em parceria com a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia e a Casa de Cultura Ilê Asé D’Osoguiã (CCIAO). O evento realizado no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia teve a participação de representações do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente Estadual e Municipal, de movimentos sociais e organizações da sociedade civil atuantes na defesa dos direitos de crianças e adolescentes, e de profissionais da rede pública de promoção e prote…

Porrajmos – O Holokausto Romani

O CRESCIMENTO DA @RROMAFOBIA E DO @ANTIGITANISMO NA EUROPA E AMÉRICA LATINA



Após passados 75 anos da noite de 02 de agosto de 1944, Auschwitz ainda continua vivo, com suas câmaras de gás, seus fornos humanos.
A deflagração da guerra trouxe mais restrições aos ciganos e, em 16 de dezembro de 1942, Himmler ordenou a deportação de todos os "ciganos, mestiços, ciganos romanos e membros de tribos ciganas de origem balcânica com sangue não alemão" para um campo de concentração. Uma ordem do Escritório Central de Segurança da SS Reich, de 20 de janeiro de 1943, especificava que eles seriam deportados para o campo de concentração (campo cigano) de Auschwitz.
Rainer Schulze O texto acima é do professor de História Européia Moderna  na Universidade de Essex e programador da  Semana Holocausto do Memorial da Universidade de Essex.
Entretanto cuidado, pode facilmente ser confundida com os dias de hoje. Não faltam semelhanças. Pelo ao menos duas realidades foram vivenciadas pela Rromá no…

PESQUISA ... ALTERA 7ª Edição

AMSK/Brasil