Pular para o conteúdo principal

Conselho dos Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais do Paraná elege novos membros


O Conselho Estadual de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais (CPICT), vinculado ao Departamento de Direitos Humanos e Cidadania (DEDIHC) da Secretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos (SEJU), realizou nesta quarta-feira (12/12/2018), a convocação da Assembleia Geral Extraordinária para indicação de 12 novos representantes dos povos indígenas e comunidades tradicionais. 

O CPICT/PR é um órgão colegiado, consultivo, deliberativo e fiscalizador, instituído pela Lei 17.425/2012, e tem a finalidade de possibilitar a participação popular em discussões, propostas, elaborações e auxílio na implementação e fiscalização das políticas públicas para o desenvolvimento sustentável dos povos indígenas e comunidades tradicionais que se utilizem da autodefinição ou auto atribuição, segundo a Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho de 2004, como povos e comunidades tradicionais.



Composição – Para compor o CPICT foram indicados os membros de segmentos dos povos indígenas e comunidades tradicionais, conforme artigo 7º da Lei nº 17.425/2012, sendo:

I – 01 representante titular – Ana Maria Santos e 01 suplente -  Rosalina Gomes, representando as Benzedeiras e
Benzedores do Estado do Paraná;

II – 01 representante titular- Antônio Alvez Pereira e 01 suplente- Claudio Motta, representando as Comunidades Ciganas do Estado do Paraná;

III – 01 representante titular - Diva da Costa Correa e 01 suplente- Suely Alipio dos Santos, representando as Cipozeiras e Cipozeiros do Estado do Paraná;

IV – 01 representante titular – Robson Borges Arantes  e 01 suplente – Márcio da Silva Marins, representando as Religiões de Matriz Africana;

V – 01 representante titular – Amantino Sebastião de Beija e 01 suplente – Romalino Caldas, representando os Povos Faxinalenses do Estado do Paraná;

VI – 01 representante titular e 01 suplente representando as Comunidades Indígenas Guarani do Estado do Paraná;

VII – 01 representante titular – Carlos Alberto Luiz Santos e 01 suplente – Moisés da Silva, representando as Comunidades Indígenas Kaingang do Estado do Paraná;

VIII – 01 representante titular – Jorge da Silva França e 01 suplente – Zuleide dos Santos, representando as Comunidades Caiçaras do Estado do Paraná;

IX – 01 representante titular – Adnã Chagas das Dores e 01 suplente – Gerson Castanho Malaquias, representando os Pescadores e Pescadoras Artesanais do Estado do Paraná;

X – 02 representantes titulares – Nilton Morato dos Santos eAlcione Ferreria da Silva, e 02 suplentes – Ilton Gonçasves da Silva e Adir Rodrigues dos Santos, representando as Comunidades Quilombolas do Estado do Paraná;

XI – 01 representante titular – Misael Jefferson Nobre e 01 suplente – Olimpio Benjamin Franco, representando as Comunidades de Ilhéus.

Fonte: http://www.justica.pr.gov.br/ 

"Vale sempre ressaltar a importancia da participação social nas construções políticas, sejam elas municipais, estaduais ou federal. O Paraná sempre esteve atuante nessa área e desta vez elege a população em situação de itinerancia - ciganos de barraca que percorrem todo o estado."
Parabéns ao estado do Paraná, parabens as comunidades ciganas do estado e a todos os envolvidos nessa construção.

Quando os conselhos e seus membros dialogam, percebem em sua grande maioria, que vale muito mais a pena construir agendas positivas naquilo que os une; que crescemos quando aprendemos a ouvir as condições alheias e nos lembramos que juntos somos mais fortes, somos mais gente e vivemos muitas alegrias e tristezas pertinentes a essa agenda comum.




AMSK/Brasil 

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam

  COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam É preciso dizer #Dosta #Basta   A Union Romani Iternactional – IRU/ Office Agency Brazil , por meio do escritório da AMSK/Brasil e de seus delegados/membros do Brasil e da Argentina, AICRON/Brasil, Observatorio de Mujeres Gitanas/AR - BR, Leshjae Kumpanja, ZOR/AR, Federação Romani e Academia de Letras Romani, Urban Nômades e suas representações estaduais , vem por meio desta expressar sua preocupação com a escalada de violência que está acontecendo no estado da Bahia desde o dia 13 de julho de 2021 – no município de Vitória da Conquista e redondezas.   #VidasRomanyImportam  #RomanyLivesImport   “São dias de terror” dizem alguns, outros relatam cenas de chacina, pavor e queima de carros e casas. No meio desse estouro de mais um episódio de violência, estão: um adolescente, mulheres vítimas de arma de fogo, crianças e idosos. Precisamos falar das manchetes midiáticas que retiram a identidade dessas pessoas e coaduna

#VidasRomanyImportam

 Sobre o caso: VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Hoje, dia 19 julho de 2021 várias reuniões aconteceram e espera-se que tudo corra bem. As perseguições aos dois cidadãos acusados da morte dos dois policiais no dia 13/07 continua e foram elencados como criminosos mais seis membros da mesma família. Várias barreiras foram feitas. Consta também que várias pessoas pertencentes a família dos acusados, seguem presos... OPERAÇÃO MARTINELLI - esse é o nome apresentado de uma operação que começou ano passado, segundo a SSP/BA... https://agenciasertao.com/2021/07/19/policia-ainda-procura-por-seis-envolvidos-em-assassinatos-de-pms-na-zona-rural-de-vitoria-da-conquista/ https://agenciasertao.com/2020/07/16/operacao-prende-acusados-de-participar-do-assassinato-de-irmaos-em-carinhanha/ https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/07/29/homem-suspeito-de-integrar-quadrilha-apontada-como-responsavel-por-morte-de-irmaos-e-preso-na-ba.ghtml Pelo que se pode observar, foram: 2 Policiais mortos; 4 irmãos mortos (send

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal. “Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de con