Pular para o conteúdo principal

ONU 2012

As vitórias são sempre consideradas pequenas, especialmente por aqueles que ignoram a capacidade do ser humano de avançar cautelosamente.
No Brasil, muitas perdas em relação a cultura romani já foram vistas. São muitas, mas poderemos remodelar esses avanços nocivos. Gestos simples que venham a incluir paciência e dedicação, respeito e preservação.
É por esse motivo que o grupo de observadores da ONU, ganharam o nosso respeito. Aos poucos as pontes estão sendo construidas, de formas diferentes e em línguas diferentes. Nasce a observação específica e isso não é pouco. Isso significa que essa construção vem sido feita, arquitetada a alguns anos e que conseguiu penetrar nas duras placas de defesa européia e americana. O Brasil se prepara para juntar dados aos dados europeus, a dar novas  formas as formatações existentes.
Essa é a construção da AMSK/Brasil, viabilizar e fomentar pesquisa e dados, que alavanquem as políticas públicas no Brasil. Respeitando tratados internacionais e colocando o nome do Brasil em lugar de destaque, pelo respeito e pelos avanços em prol dos Povos Romani que aqui vivem.

A AMSK/Brasil participa da divulgação do 8 de Abril no Brasil, através de Seminários Internacionais, Audiências Públicas e relatórios culturais, a fim de mostrar a realidade da Rromá em território Nacional.

AMSK/Brasil
Abaixo, o relatório da ONU de 2012



"Não vamos aceitar outra geração perdida de Roma" - especialistas da ONU
Por ocasião do Dia Internacional de Roma, domingo 08 de abril de 2012


GENEBRA (05 de abril de 2012) - "A hora de agir é agora", disse um grupo de sete das Nações Unidas para os direitos humanos especialistas em Internacional * Dia Roma. "Não podemos aceitar que mais uma geração perdida de meninas e meninos ciganos cujo único expectativas são vidas de pobreza, discriminação e exclusão e cujos futuros são ditadas por estereótipos negativos que comumente passar em branco."



"É difícil para Roma para arrancar essas rótulos negativos e para toda a sociedade para ver além deles", disse o especialista da ONU Independente sobre as questões das minorias, Rita Izsak, como ela pediu aos Estados que intensifiquem os seus esforços e "identificar partes, e colocar em prática o que se sabe estar a trabalhar para a inclusão e integração das comunidades ciganas ".



As estimativas sugerem que até 12 milhões de ciganos vivem na Europa, e populações consideráveis ​​outros vivem na América Latina, a maioria deles nas margens da sociedade.



"Práticas eficazes estão sendo empregados no chão todos os dias, mas deve ser aprimorado e replicado em outros lugares", diz Izsak disse. "Estes incluem metodologias educacionais inclusivos, a contratação de mediadores ciganos, investimentos concentrados nas regiões mais desfavorecidas em que Roma muitas vezes de formação, ao vivo e iniciativas de emprego e recursos alocados para a promoção da cultura e meios Roma, para mencionar apenas alguns."


Para o relator especial da ONU sobre formas contemporâneas de racismo, Mutuma Ruteere, "desconfiança racismo, histórico e preconceitos persistentes mantêm ciganos e não-ciganos as comunidades e aprofundar a distância entre eles."

"Nestes tempos de crise financeira, a Roma está em risco de ser bodes expiatórios para as dificuldades na sociedade. Temos de prevenir e enfrentar comportamento racista que pode resultar em violência contra a Roma. Legislação contra discursos de ódio e crimes de ódio é importante para prevenir e combater a propagação de mensagens de ódio, inclusive na internet, e permitir acusação dos responsáveis ​​", acrescentou.


Relator Especial da ONU para a educação, Kishore Singh, ressaltou que "a educação pode quebrar o ciclo de exclusão dos ciganos, mas as crianças ciganas são frequentemente em escolas de qualidade segregadas e pobres, e não em educação em relação aos outros."

"Como é que vamos colocar todas as crianças Roma em uma escola de qualidade, onde estão integrados e em um ambiente positivo de aprendizagem", perguntou o Sr. Singh. "As experiências bem sucedidas existem, mas até o momento eles só arranhar a superfície do problema de longa data e deve ser mais amplamente entendida e implementada com apoio pedagógico e financeiro necessário".


"Roma expectativa de vida é muitas vezes menor para a Roma por dez anos ou mais", disse o Relator Especial da ONU sobre o direito à saúde, Anand Grover. "Temos de desafiar o status quo e perguntar o que precisa ser feito para combater a discriminação e garantir uma melhor realização do direito da Roma para a saúde. Devemos melhorar o acesso dos ciganos aos serviços de saúde e informações essenciais de saúde. "


"Em algumas localidades, os mediadores de saúde ciganos são sucesso trabalhando para construir pontes entre as comunidades, autoridades locais e serviços de saúde. Esses bons exemplos devem ser aplicadas em muitos outros lugares ", declarou o Sr. Grover.

Nos campos de extrema pobreza, moradia adequada, água e saneamento, os relatores especiais da ONU, Magdalena Sepúlveda, Raquel Rolnik, e de Catarina de Albuquerque expressaram suas preocupações de que os ciganos freqüentemente vivem na pobreza nas piores condições de moradia, muitas vezes sob permanente ameaça de despejo , e sem acesso a, ou água, e saneamento inadequados - um ambiente que é prejudicial para a sua saúde e oportunidades.


"O reconhecimento e legalização de habitação Roma estabelecida e assentamentos e investimentos em infra-estrutura e serviços são essenciais, mas muitas vezes falta, enquanto muitas comunidades enfrentam negligência e hostilidade de autoridades", disseram os especialistas.

Os sete especialistas da ONU independentes apelaram para a implementação de políticas e programas eficazes para proteger e promover os direitos ciganos em todos os países com populações ciganas. "Compromisso renovado, uma ação orientada e recursos adequados devem ser dedicados a resolver os problemas de longa data, discriminação e exclusão enfrentados por comunidades ciganas", salientaram.


"Pedimos á Rroma, governos e outros para dar exemplos de políticas, práticas e programas que têm sido demonstradas para trabalhar efetivamente e para melhorar a vida dos ciganos, bem como iniciativas positivas para melhorar relações inter-comunitárias", disseram antes da Internacional Roma Dia. Os especialistas encorajaram os governos a construir relações mais fortes e positivas com as comunidades ciganas e as ONGs, e para consultar plenamente com eles quando moldar soluções sustentáveis ​​para os problemas enfrentados pelas comunidades ciganas.

Fonte:

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam

  COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam É preciso dizer #Dosta #Basta   A Union Romani Iternactional – IRU/ Office Agency Brazil , por meio do escritório da AMSK/Brasil e de seus delegados/membros do Brasil e da Argentina, AICRON/Brasil, Observatorio de Mujeres Gitanas/AR - BR, Leshjae Kumpanja, ZOR/AR, Federação Romani e Academia de Letras Romani, Urban Nômades e suas representações estaduais , vem por meio desta expressar sua preocupação com a escalada de violência que está acontecendo no estado da Bahia desde o dia 13 de julho de 2021 – no município de Vitória da Conquista e redondezas.   #VidasRomanyImportam  #RomanyLivesImport   “São dias de terror” dizem alguns, outros relatam cenas de chacina, pavor e queima de carros e casas. No meio desse estouro de mais um episódio de violência, estão: um adolescente, mulheres vítimas de arma de fogo, crianças e idosos. Precisamos falar das manchetes midiáticas que retiram a identidade dessas pessoas e coaduna

#VidasRomanyImportam

 Sobre o caso: VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Hoje, dia 19 julho de 2021 várias reuniões aconteceram e espera-se que tudo corra bem. As perseguições aos dois cidadãos acusados da morte dos dois policiais no dia 13/07 continua e foram elencados como criminosos mais seis membros da mesma família. Várias barreiras foram feitas. Consta também que várias pessoas pertencentes a família dos acusados, seguem presos... OPERAÇÃO MARTINELLI - esse é o nome apresentado de uma operação que começou ano passado, segundo a SSP/BA... https://agenciasertao.com/2021/07/19/policia-ainda-procura-por-seis-envolvidos-em-assassinatos-de-pms-na-zona-rural-de-vitoria-da-conquista/ https://agenciasertao.com/2020/07/16/operacao-prende-acusados-de-participar-do-assassinato-de-irmaos-em-carinhanha/ https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/07/29/homem-suspeito-de-integrar-quadrilha-apontada-como-responsavel-por-morte-de-irmaos-e-preso-na-ba.ghtml Pelo que se pode observar, foram: 2 Policiais mortos; 4 irmãos mortos (send

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal. “Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de con