Pular para o conteúdo principal

MULHERES CIGANAS: DA TRADIÇÃO AO FEMINISMO






A exposição - “Mulheres Ciganas: da Tradição ao Feminismo” levou um pouco da realidade e do dia a dia das mulheres de etnia romani pelo Brasil. Essa diversidade mostra que o estereótipo não tem mais lugar no dia a dia dos organismos público e governamentais, principalmente porque essa visão deturpada da realidade; impede com que todo o leque de diferenças seja visto, respeitado e valorizado.


“Mulheres Ciganas: da Tradição ao Feminismo”. Compuseram a mesa a Dra. Márcia Teixeira, Promotora de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia e Coordenadora do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher (GEDEM); Elisa Costa, Presidenta da AMSK/Brasil; Lucimara Cavalcante, coordenadora do Projeto Kalinka, da AMSK/Brasil; Sra. Selma Dantas, da comunidade Calon de Camaçari-BA; e a Sra. Maura Dantas, da comunidade Calon de Camaçari-BA.



 Lucimara, Selma e Maura

A audiência contou com a presença do Professor Jucelho Dantas, cigano de etnia Calon, da Universidade de Feira de Santana, Bahia; Carolaine e Giovana Dantas, jovens da comunidade Calon de Camaçari-BA; a Sra. Elenir Alves, coordenadora do Programa Todos pela Alfabetização (TOPA), da Secretaria de Educação do Governo do Estado da Bahia; a Sra. Cassi Coutinho, da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI), do Governo do Estado da Bahia; outros/as servidores e servidoras públicos/as, estudantes e integrantes do GEDEM e do Ministério Público do Estado da Bahia. 

A AMSK/Brasil, acredita que parcerias e encontros, com organismos como o GEDEM da Bahia, MPBa e ONU Mulheres, são instrumentos de grande impacto para a realização de mudanças verdadeiras na vida dessas mulheres. 

Pela primeira vez; Selma e Maura (comunidade de Camaçari) se sentaram em uma mesa e foram respeitosamente ouvidas em suas particularidades reais, seus sonhos, seus objetivos. Ressaltamos o apoio do irmão, Dr. Jucelho Dantas, presente todo o tempo, enriquecendo a discussão. 

Com a presença de Zanata Dantas e do Sr. Navie, grandes comunidades começaram a compreender a importância de suas mulheres terem voz. Sabemos que o caminho ainda é longo, mas abrirem suas portas a organismos sérios, começaram a mudar suas realidades. 

 As calins de Camaçari - mulheres orgulhosamente de etnia cigana.


Por fim, pelos braços do carinho, do diálogo, da compreensão e do respeito; o empoderamento dessas mulheres e a possibilidade de reconhecerem e redescobrirem em si mesmas uma vida mais justa; é totalmente possível. 

Resta-nos, em nome das mulheres da AMSK/Brasil, em memória as histórias de separação e de sofrimento, agradecermos as mulheres do Gedem, do MP da Bahia e da ONU Mulheres; toda a visibilidade que a missão pode proporcionar a essas mulheres. Sonhamos e acreditamos que as utopias apenas demoram o tempo de suas realizações. Não podemos mais perder uma geração de mulheres, para que o racismo, a miséria, a discriminação e o preconceito, não venham mais a condená-las já no ventre de suas mães; como ainda o é, até os dias de hoje.

AMSK/Brasil
Porque o trabalho, sempre é a melhor resposta.

Postagens mais visitadas deste blog

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

O Dia Nacional do Cigano, 24 de maio, foi instituído por Decreto Presidencial, 25 de maio de 2006, como ação afirmativa para salvaguarda e o respeito a cultura de um povo que faz parte do processo organizativo brasileiro.
As ações da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK) desde o ano 2009 tem se dedicado ao levantamento, sistematização e ampla divulgação de informações sobre o Povo Rom (os assim chamados ciganos) quanto as suas especificidades, tradições, necessidades, condições de vida e obstáculos enfrentados no acesso a direitos fundamentais. E tem pautado os poderes públicos brasileiro para a necessidade do fortalecimento das capacidades dos agentes públicos para interpretação dos direitos e adequação dos serviços relacionados ao atendimento dessa parcela da população brasileira.
A Secretaria de Gestão Estratégia e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou no dia 10 de novembro de 2016, a cartilha Subsídiospara o Cuidado à Saúde do Povo Cigano, elaborada pelo De…

RNPI MANTEM A LUTA EM DEFESA DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Carta aberta ao Ministério dos Direitos Humanos sobre Recomendações ao Brasil feitas no III Ciclo do Mecanismo de Revisão Periódica Universal (RPU) 
A REDE NACIONAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA, articulação nacional de organizações governamentais e não-governamentais, comprometida com a defesa e promoção dos direitos das crianças de zero a seis anos de idade, analisando as Recomendações do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas vem expor e requerer o seguinte: 
1. A Revisão Periódica Universal (RPU), criada pela Assembleia Geral da ONU em 15 de março de 2006, pela Resolução 60/251, é importante instrumento para que os 193 Estados membros das Nações Unidas, de forma cooperativa, avancem no cumprimento de suas obrigações de direitos humanos; 
2. Conforme preconiza o artigo 227 da Constituição Federal de 1988, compete à família, a sociedade e ao poder público a proteção integral de crianças e adolescentes no Brasil, além de consagrar nesta Carta Política outras garantias fundamentais como a…

INFORMATIVO ATENDIMENTO A POVOS CIGANOS NO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS

Como desdobramento da Oficina “SUAS e o atendimento a Povos Ciganos”, realizada no dia 28 de junho de 2017, a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social (SNAS/MDS) lança o Informativo “Atendimento a Povos Ciganos no SUAS”com o objetivo de subsidiar os profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no atendimento adequado aos Povos Ciganos, respeitando suas tradições e cultura. Conhecer um pouco das especificidades dos Povos Ciganos auxilia no combate à discriminação, preconceito e racismo institucional, propiciando maior visibilidade a este povo e garantindo o acesso a benefícios, serviços e direitos.
O documento é resultado do trabalho realizado pelo Departamento de Proteção Social Básica da SNAS/MDS com a colaboração da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil). Fomentar a aplicação da política pública de assistência social para o Povo Rom – os assim chamados ciganos – no país. 
A AMSK/Brasil agradece a todas/os do Povo …