Pular para o conteúdo principal

*CIGANOFOBIA E CORONAVÍRUS NO BRASIL*





Alguns dizem: Tempos difíceis esses.
Outros falam: É o fim dos tempos.

Não, ainda não é o fim dos tempos, cremos nós. É apenas e tão somente o mesmo do mesmo. Para muitos a Ciganofobia não existe, mas, para "Nós: os ciganos" é fato. Por vezes melhora, por outras, disfarça, nem sempre está clara, de vez em quando passa do limite.

É certo que as ações internacionais contra a rromafobia e a ciganofobia estão imensamente mais avançadas que no Brasil. A Educação, o senso e a necessidade de ampliar a consciência também. A luta por qualificação e lugar na vida cotidiana das universidades e o alerta para o emprego e a renda são agendas que já estão em discussão a mais de uma década e meia. Os resultados são organizações preparadas, unidas e que de forma bem mais ágil, se organizam a contendo, seja para denunciar ações discriminatórias, dar suporte em situações como a Pandemia que assola todo o mundo, seja no controle mais eficaz de uma comunicação efetiva.

Nas últimas semanas, a coisa apertou e a realidade irá explodir. É fato. O pensamento e a reflexão abaixo deixa claro. Estamos correndo cotidianamente contra o que foi negligenciado por séculos: a perseguição desmedida contra os "assim chamados ciganos".

Aqui tem pano para muita manga e por vezes, refletindo sobre a reflexão abaixo, chega dar um desânimo com a "Mascara da vez", muito bem referenciada pelo autor - agora é o CORONAVÍRUS, mas, já foi tanta coisa. Teremos nos próximos dias o Rromani Day ou Rromá Day, o dia Internacional da Rromá. Dia 08 de abril. Será um dia de imensas reflexões, sobre as várias formas de extermínio, sobre os erros cometidos, as violações com caracteres cotidianos, as frases de: olharemos mais adiante e sobre o uso da pobreza e da desinformação que assola boa parte das comunidades "Ciganas" no Brasil.

As denúncias e queixas não param de ser relatadas, infelizmente. #Dosta  #Basta
Sugerimos a reflexão do texto abaixo, vale a pena. 
Ele nos faz pensar? Sim.
Porque? Não achamos a resposta, a não ser essa: CIGANOFOBIA/RROMAFOBIA.

AMSK/Brasil

Uma Campanha da AMSK/Brasil 2020/2030



Ciganofobia e coronavírus no Brasil
Por Igor Shimura
02/04/2020


Tenho ouvido sobre alguns casos de discriminação que associam ciganos e a transmissão do coronavírus na Europa. O racista e o preconceituoso nem sempre encontram um álibi para se justificar (as vezes assumem seu crime sem pudor e se safam sob a proteção de algumas instituições, igualmente racistas e preconceituosas), mas as vezes distorcem algum fato, citam um mito ou um estereótipo para destilar seu ódio. 

Para matar quinhentos mil ciganos Hitler usou o argumento das "raças superiores versus raças inferiores". Para impregnar a visão de que ciganos eram "praticamente demônios encarnados" na academia europeia Grellmann utilizou matérias sensacionalistas de jornais que acusavam “os ciganos” de canibais.

Para quem odeia ciganos nada melhor do que uma pandemia! É bastante conveniente camuflar a ciganofobia acusando ciganos de serem potenciais vetores do coronavírus e, assim sendo, obrigá-los a “ficar longe”, sem nenhuma assistência e apoio. 
Isso está acontecendo em alguns municípios brasileiros. Ontem uma pequena comunidade instalada em Dois Vizinhos simplesmente foi expulsa. A coisa foi tensa quando um grupo de famílias com crianças e idosos, itinerantes, seguindo as orientações do Governo Federal para que procurassem ficar em cidades do interior, longe de grandes centros, instalou-se no terreno de costume, onde geralmente ficam ciganos. 

Em pouco tempo ouviram moradores reclamando, pedindo para que fossem embora (é ou não é ciganoFOBIA?). Uma moradora disse assim: “que esses demônios vão embora!”. Em pouco tempo (e olha a eficiência do serviço racista!) fiscais da prefeitura acompanhados da força policial chegou ao local mandando-os embora “pois poderiam estar infectados pelo coronavírus e acabar com as pessoas da cidade”. 

Oras, ninguém perguntou como estavam as crianças, os idosos, os homens, as mulheres... não perguntaram se estavam com fome, com sede ou precisando de remédios. Tampouco algum agente de saúde esteve no local para verificar a saúde dos idosos. Não! “Sumam daqui agora” foi a “ordem” de gente odiosa escondida sob o pretexto de que os “malditos ciganos” poderiam destruir a “cidade aquário”.

Liguei para a prefeitura e me disseram que qualquer pessoa em viagem não pode parar na cidade. O que logo perguntei à pessoa do gabinete foi: “e por acaso alguém nessa condição diminui a sua humanidade, ou essa não é sua condição quando se trata de ciganos?”.

Hoje, em Guarapuava, aconteceu algo semelhante. A abordagem policial foi chocante: repentinamente foram à uma comunidade com cerca de 100 pessoas - dentre crianças, idosos, homens e mulheres - e disseram: "vocês devem sair em 30 minutos!". Sem conversa! Triste. Desumano. Desigual. Como tirar 100 pessoas do lugar cultural, onde estão autorizados a ficar com seus domicílios itinerantes, em 30 minutos? Ir para onde??? Acionamos o MPF, o Governo estadual, o comando policial o Governo Federal e só por isso conseguimos uma negociação... mas tememos por amanhã.

É... o coronavírus é a máscara da vez... a máscara que esconde a ciganofobia com toda a sua estrutura de ódio. Peço a Deus que não permita que nenhum dos nossos ciganos seja assassinado sob a desculpa esfarrapada de que estavam com coronoavírus, apesar de saber que essa gente gostaria mesmo era de fazer exatamente isso. 

Igor Shimura – Associação Drom Lachom

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam

  COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam É preciso dizer #Dosta #Basta   A Union Romani Iternactional – IRU/ Office Agency Brazil , por meio do escritório da AMSK/Brasil e de seus delegados/membros do Brasil e da Argentina, AICRON/Brasil, Observatorio de Mujeres Gitanas/AR - BR, Leshjae Kumpanja, ZOR/AR, Federação Romani e Academia de Letras Romani, Urban Nômades e suas representações estaduais , vem por meio desta expressar sua preocupação com a escalada de violência que está acontecendo no estado da Bahia desde o dia 13 de julho de 2021 – no município de Vitória da Conquista e redondezas.   #VidasRomanyImportam  #RomanyLivesImport   “São dias de terror” dizem alguns, outros relatam cenas de chacina, pavor e queima de carros e casas. No meio desse estouro de mais um episódio de violência, estão: um adolescente, mulheres vítimas de arma de fogo, crianças e idosos. Precisamos falar das manchetes midiáticas que retiram a identidade dessas pessoas e coaduna

#VidasRomanyImportam

 Sobre o caso: VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Hoje, dia 19 julho de 2021 várias reuniões aconteceram e espera-se que tudo corra bem. As perseguições aos dois cidadãos acusados da morte dos dois policiais no dia 13/07 continua e foram elencados como criminosos mais seis membros da mesma família. Várias barreiras foram feitas. Consta também que várias pessoas pertencentes a família dos acusados, seguem presos... OPERAÇÃO MARTINELLI - esse é o nome apresentado de uma operação que começou ano passado, segundo a SSP/BA... https://agenciasertao.com/2021/07/19/policia-ainda-procura-por-seis-envolvidos-em-assassinatos-de-pms-na-zona-rural-de-vitoria-da-conquista/ https://agenciasertao.com/2020/07/16/operacao-prende-acusados-de-participar-do-assassinato-de-irmaos-em-carinhanha/ https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/07/29/homem-suspeito-de-integrar-quadrilha-apontada-como-responsavel-por-morte-de-irmaos-e-preso-na-ba.ghtml Pelo que se pode observar, foram: 2 Policiais mortos; 4 irmãos mortos (send

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal. “Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de con