Pular para o conteúdo principal

AMSK/BRASIL PARTICIPA DA XIV RMAAM




A Reunião de Ministras e Altas Autoridades da Mulher - RMAAM é a instância de diálogo entre as máximas autoridades da mulher no âmbito do Mercosul e tem entre suas principais funções assessorar e propor ao Conselho do Mercado Comum (CMC) medidas, políticas e ações voltadas para as mulheres.
Com a presença de delegações da Argentina, Paraguai e Uruguai nos dias 20 a 22 de novembro, em Brasília, Distrito Federal, o governo brasileiro realizou a XIV Reunião de Ministras e Altas Autoridades de Mulheres do Mercosul (RMAAM) sob a coordenação do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
A abertura da XIV RMAAM com o Seminário Violência Política Contra as Mulheres para as discussões sobre os desafios e superação da mulher na política. Na oportunidade, o governo brasileiro lançou a campanha de mobilização das mulheres para o ingresso na política que estimula eleger pelo ao menos uma mulher em cada Câmara Municipal Legislativa do país nas eleições municipais em 2020.
Nos dias 21 e 22 de novembro dedicados as pautas de discussão técnica na aplicação de políticas públicas sobre as temáticas de a inserção dos direitos da mulher no comércio exterior, a autonomia econômica, a participação política, e o combate à todas as formas de violência. Participaram desse momento como representantes do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM): Lucimara Cavalcante, da AMSK/Brasil e Sonia Zerino, da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Indústria (CNTI).
A sociedade civil organizada teve no dia 22 de novembro o momento para apresentar considerações aos temas abordados na reunião. A representante da AMSK/Brasil apresentou as questões afetas ao preconceito, discriminação e racismo elencados as mulheres romani, e os avanços e desafios na aplicação das políticas públicas setoriais e de direitos no Brasil para o Povo Rom. Solicitou as Ministras e Altas Autoridades do Mercosul o cumprimento da Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho para elaboração de ações conjuntas com as mulheres indígenas, afrodescentes e romani na efetivação de políticas com a abordagem intercultural e com equidade.

A AMSK/Brasil agradece o convite da Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM) e Secretária Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), Cristiane Britto, e pela oportunidade no acompanhamento das pautas de discussões políticas internacionais de garantia dos direitos das mulheres promovidas na XIV RMAAM do Mercosul. 

MOMENTOS



Postagens mais visitadas deste blog

Porrajmos – O Holokausto Romani

O CRESCIMENTO DA @RROMAFOBIA E DO @ANTIGITANISMO NA EUROPA E AMÉRICA LATINA



Após passados 75 anos da noite de 02 de agosto de 1944, Auschwitz ainda continua vivo, com suas câmaras de gás, seus fornos humanos.
A deflagração da guerra trouxe mais restrições aos ciganos e, em 16 de dezembro de 1942, Himmler ordenou a deportação de todos os "ciganos, mestiços, ciganos romanos e membros de tribos ciganas de origem balcânica com sangue não alemão" para um campo de concentração. Uma ordem do Escritório Central de Segurança da SS Reich, de 20 de janeiro de 1943, especificava que eles seriam deportados para o campo de concentração (campo cigano) de Auschwitz.
Rainer Schulze O texto acima é do professor de História Européia Moderna  na Universidade de Essex e programador da  Semana Holocausto do Memorial da Universidade de Essex.
Entretanto cuidado, pode facilmente ser confundida com os dias de hoje. Não faltam semelhanças. Pelo ao menos duas realidades foram vivenciadas pela Rromá no…

PESQUISA ... ALTERA 7ª Edição

AMSK/Brasil

ALERTA: BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA BPC

É direito de todos e obrigação do estado. Novamente enfrentamos a barreira da desinformação. É preciso fazer circular essas informações. Em especial aos Povos e Comunidades Tradicionais, as pessoas com algum tipo de deficiência e que necessitam do BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA.
Um dos objetivos do ReuneSUAS é informar a quem não tem acesso a informação, a áreas isoladas, comunidades distantes e a todos os Povos e Comunidades tradicionais, aos deficientes, organizações de trabalhadores e entidades.
Nossos idosos precisam ser alertados dos prazos. Familiares e amigos podem dividir e multiplicar essa informação.
VAMOS COMPARTILHAR.



Os membros da AMSK/Brasil fazem parte dessa rede,
Faça você também.

AMSK/Brasil