Pular para o conteúdo principal

6ª MARCHA DAS MARGARIDAS: LUTA POR UM BRASIL COM SOBERANIA POPULAR, DEMOCRACIA, JUSTIÇA E LIVRE DE VIOLÊNCIA


Mulheres do campo, da floresta e das águas vindas de todas as regiões do Brasil se reúnem de quatro em quatro em Brasília, Distrito Federal, para a mobilização nacional em prol dos direitos das mulheres.
A Marcha das Margaridas foi criada para celebrar a trajetória de luta e conquistas de Margarida Maria Alves, mulher negra e presidente do Sindicato Rural de Alagoa Grande, Paraíba. Durante dez anos ela ajudara promover mais de 600 ações trabalhistas contra usineiros e donos de engenhos na região da Paraíba. O êxito de suas ações em defesa dos direitos trabalhistas lhe custou a vida. Margarida foi assassinada na porta de sua casa na frente do marido e filho.
A 6ª Marcha das Margaridas realizada nos dias 13 e 14 em Brasília, Distrito Federal contou com ampla programação de debates e capacitação sobre os direitos das mulheres. A edição deste ano foi desenvolvida sobre o tema “A Agroecologia e o Enfrentamento da Violência Contra a Mulher no Campo”.
A AMSK/Brasil participou do evento somando-se ao ato dos manifestos dessas mulheres por direitos à terra, segurança, saúde, educação, assistência social e trabalho condigno.
A conformação política instaurada no país tem promovido cortes orçamentários e financeiros de programas de direitos fundamentais à população brasileira. Promove perda dos direitos no atendimento à saúde pelo Sistema Único de Saúde, dos benefícios socioassistenciais pelo Sistema Único da Assistência Social, o acesso a educação gratuita pelo Sistema de Ensino, e de benefícios trabalhistas pela Previdência Social.
“NÓS SOMOS TODAS MARGARIDAS”
Agimos em defesa da dignidade humana da população brasileira.
A AMSK/Brasil parabeniza Mazé Morais, Secretária de Mulheres da CONTAG e coordenadora da Marcha das Margaridas, e todas e todos que contribuíram para o êxito da 6ª Marcha das Margaridas.



MOMENTOS


Postagens mais visitadas deste blog

Porrajmos – O Holokausto Romani

O CRESCIMENTO DA @RROMAFOBIA E DO @ANTIGITANISMO NA EUROPA E AMÉRICA LATINA



Após passados 75 anos da noite de 02 de agosto de 1944, Auschwitz ainda continua vivo, com suas câmaras de gás, seus fornos humanos.
A deflagração da guerra trouxe mais restrições aos ciganos e, em 16 de dezembro de 1942, Himmler ordenou a deportação de todos os "ciganos, mestiços, ciganos romanos e membros de tribos ciganas de origem balcânica com sangue não alemão" para um campo de concentração. Uma ordem do Escritório Central de Segurança da SS Reich, de 20 de janeiro de 1943, especificava que eles seriam deportados para o campo de concentração (campo cigano) de Auschwitz.
Rainer Schulze O texto acima é do professor de História Européia Moderna  na Universidade de Essex e programador da  Semana Holocausto do Memorial da Universidade de Essex.
Entretanto cuidado, pode facilmente ser confundida com os dias de hoje. Não faltam semelhanças. Pelo ao menos duas realidades foram vivenciadas pela Rromá no…

PESQUISA ... ALTERA 7ª Edição

AMSK/Brasil

AMSK E A COMISSÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL – SECCIONAL RONDÔNIA REALIZAM DIÁLOGOS SOBRE A RESOLUÇÃO 181/2016 DO CONANDA

A Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil), o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA), Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério dos Direitos Humanos, e Ministério dos Direitos Humanos, realizou no dia 27 de novembro de 2018, o workshop Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: perspectivas e desafios a partir da resolução nº 181/2016 do CONANDA, em parceria com a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia e a Casa de Cultura Ilê Asé D’Osoguiã (CCIAO). O evento realizado no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia teve a participação de representações do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente Estadual e Municipal, de movimentos sociais e organizações da sociedade civil atuantes na defesa dos direitos de crianças e adolescentes, e de profissionais da rede pública de promoção e prote…