AMSK/BRASIL PARTICIPA DO “SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIGANOS EM PORTUGAL, ESPANHA E BRASIL: ANALISANDO CONTEXTOS, DEMANDAS E PROCESSOS IDENTITÁRIOS”

O Seminário Internacional Ciganos em Portugal, Espanha e Brasil: analisando contextos, demandas e processos identitários realizado nos dias 3 e 4 de junho, no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE – IUL) com o objetivo de promover o intercâmbio de experiências entre romani atuantes na defesa dos direitos humanos, de pesquisadoras e pesquisadores acadêmicos, e representações governamentais.
A AMSK/Brasil foi convidada pela Comissão Organizadora composta por pesquisadoras e pesquisadores de Portugal e Brasil – Olga Magano (UAb e CIES-IUL/ISCTE-IUL, Portugal), Maria Manuela Mendes (FAUL e CIES-IUL/ISCTE-IUL, Portugal), Jamilly Cunha (UFPE e NEPE/UFPE, Brasil) e Renato Athias (UFPE e NEPE/UFPE, Brasil) para compor as mesas temáticas “Contextos, ação política e associativa” e “Desafios metodológicos na pesquisa sobre ciganos. Cenário, desenhos de pesquisa e questões metodológicas”.
As representantes da AMSK/Brasil, Elisa Costa e Lucimara Cavalcante, apresentaram os trabalhos realizados de incidência política junto ao poder executivo do governo brasileiro que resultaram na visibilidade do Povo Rom na aplicação das políticas públicas da área de saúde, assistência social e educação. Destacaram os desafios e as perspectivas em face de a nova conformação política brasileira para continuidade das ações na garantia dos direitos à cidadania dessa população étnica.
O evento propiciou a divulgação dos resultados de estudos e pesquisas realizados por docentes e discentes de instituições de ensino superior referentes a mortalidade infantil, suicídios, exclusão digital, habitação, trabalho, saúde, educação.
Os dados e informações sobre a educação escolar evidenciam que os governos de Portugal e Espanha possuem programas de Estado permanentes para inclusão das crianças, jovens e adultos no ensino fundamental ao ensino superior. As pesquisas revelam a maior frequência no ensino fundamental e alto índice de abandono no ensino médio principalmente das meninas. No ensino superior, consequentemente, há baixo índice de ingressos, e as/os jovens que chegam a concluir a graduação e a pós-graduação é com o apoio da família ou que almejam qualificação profissional.
O Programa Europeu de Formação para Mediadores Ciganos (ROMED) tem contribuído para as ações de governança entre a gestão pública local e as comunidades. Em Portugal, o governo realiza programas permanentes que promovem uma melhor comunicação e cooperação entre as comunidades romani e as instituições públicas, com destaque ao ROMED, Programa Escolhas, e o Oprê Chavalê.
O Seminário evidenciou que apesar dos avanços na aplicação de políticas públicas setoriais e de direitos à visibilidade dos Roma em Portugal, Espanha e Brasil, ainda há o desafio ao enfrentamento ao racismo, xenofobia e discriminação étnico-racial. A romafobia está presente em ambos os países.
A AMSK/Brasil agradece a todas e todos pela oportunidade de partilha de conhecimentos e experiências bem-sucedidas na defesa e garantia dos direitos a dignidade humana.

“Que a herança de um Povo nunca seja a fome, a miséria, o preconceito, a discriminação, e o racismo”.


MOMENTOS
________________________________________________
___________________________________
_________________________________
________________________________________
_______________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________
___________________________________________
_______________________________________
__________________________________________
______________________________________
______________________________________________
____________________________
































Postagens mais visitadas deste blog

Porrajmos – O Holokausto Romani

AS DORES QUE O TEMPO NÃO DEVE APAGAR

NOTA DE REPÚDIO -