Pular para o conteúdo principal

8 DE ABRIL E A FALA RECONFORTANTE DE ZELJKO JOVANOVIC




O 8 DE ABRIL
Quarenta e cinco anos atrás, o primeiro Congresso Mundial Romani exigiu a autodeterminação e uma unidade internacional dos Rroma, abrindo caminho para uma reivindicação de uma nação romani não-estatal. Essa afirmação foi feita oficialmente no quinto Congresso Mundial de Romani em 2001. Mas foi ignorado em grande parte pelos formuladores de políticas e nos anos seguintes, as ambições para uma nação Rroma desapareceram.
O medo e a confusão sobre o que significaria uma nação romani contribuíram para o fim da idéia. Temeu-se que a lealdade aos ciganos de outros países pudesse entrar em conflito com a lealdade ao próprio Estado-nação e que um apelo a uma nação rom poderia ser visto como uma reivindicação territorial que levaria ao êxodo e derramamento de sangue. Do mesmo modo, tem havido uma confusão de que uma reivindicação para uma nação Rroma questiona a nossa cidadania existente ou estatuto de minoria étnica.
O medo e a confusão são refletidos a cada ano no 8 de abril, quando o Dia Internacional dos Rroma é celebrado com eventos inconsistentes. Existem eventos realizados por instituições e ONGs que mostram o seu trabalho sobre a pobreza, a educação, o emprego e os fundos da UE para ajudar os ciganos; Eventos de comemoração do Holocausto, embora haja outros dias dedicados ao luto desta história; E os eventos onde nós comemoramos nossas artes Romani, cultura, e história.
Estes acontecimentos não estão errados e são melhores do que nada, mas não conseguem expressar adequadamente o sentido da autodeterminação e da unidade internacional, que estão no cerne da identidade política romaní que foi estabelecida no primeiro Congresso Mundial de Romani em 8 de Abril de 1971.
No 8 de abril, precisamos de coragem para afirmar que nos vemos como pertencendo a um grupo que é igualmente valioso para as maiorias étnicas. Isto não significa que nós jogaremos por baixo do tapete o presente áspero ou trágico passado. Ao contrário, significa colocá-los exatamente no centro de nossa luta e aproximá-los não de uma posição de fraqueza, apatia e desesperança, mas de um lugar de dignidade, confiança e força.
No 8 de abril, precisamos dizer claramente que nossa identidade política vai além de nossa cultura étnica e nossa história compartilhada com anti-ciganos. Estes são os nossos pontos de partida do passado, mas não a nossa causa. Olhando para o futuro, nossa identidade política deve ser baseada em nossas aspirações compartilhadas e força coletiva. É aqui que está nossa causa.
Conhecemos nossas aspirações. Queremos que todas as pessoas ciganas se sintam protegidas de maus tratos e violência e tenham uma oportunidade justa de crescer e progredir com base nos seus esforços e méritos. Coletivamente, queremos ser os únicos a tomar decisões sobre nossa cultura e identidade, e queremos ser respeitados e tratados como iguais pelas populações majoritárias. Nós não queremos nada mais - mas também nada menos - do que outras pessoas e grupos.
Apesar das posições que ocasionalmente conflitam, demonstramos muitas vezes uma unidade política. Quando os ciganos de toda a Europa reagem aos desalojamentos forçados de Roma na França ou na Itália, quando mulheres romani ou LGBT advogam em nome de todos os Roma, e quando cristãos Roma defendem muçulmanos ciganos repatriados do Kosovo, podemos ver este potencial. Nós já nos unimos há décadas - agora precisamos fazer isso em uma escala maior.
Temos definitivamente mais vozes, apoiadores e oportunidades para construir uma unidade internacional e mais autodeterminação hoje do que em 1971. Portanto, temos mais responsabilidade em fazer do dia 8 de abril, o dia para se reconhecer o progresso que fizemos. É o dia em que discutimos nossos próximos objetivos políticos com coragem em nossos corações e clareza em nossas mentes.
Zeljko Jovanovic.
Trad. Ruiter "Petcha" Durdevic


AMSK/Brasil,

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam

  COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam É preciso dizer #Dosta #Basta   A Union Romani Iternactional – IRU/ Office Agency Brazil , por meio do escritório da AMSK/Brasil e de seus delegados/membros do Brasil e da Argentina, AICRON/Brasil, Observatorio de Mujeres Gitanas/AR - BR, Leshjae Kumpanja, ZOR/AR, Federação Romani e Academia de Letras Romani, Urban Nômades e suas representações estaduais , vem por meio desta expressar sua preocupação com a escalada de violência que está acontecendo no estado da Bahia desde o dia 13 de julho de 2021 – no município de Vitória da Conquista e redondezas.   #VidasRomanyImportam  #RomanyLivesImport   “São dias de terror” dizem alguns, outros relatam cenas de chacina, pavor e queima de carros e casas. No meio desse estouro de mais um episódio de violência, estão: um adolescente, mulheres vítimas de arma de fogo, crianças e idosos. Precisamos falar das manchetes midiáticas que retiram a identidade dessas pessoas e coaduna

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal. “Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de con

#VidasRomanyImportam

 Sobre o caso: VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Hoje, dia 19 julho de 2021 várias reuniões aconteceram e espera-se que tudo corra bem. As perseguições aos dois cidadãos acusados da morte dos dois policiais no dia 13/07 continua e foram elencados como criminosos mais seis membros da mesma família. Várias barreiras foram feitas. Consta também que várias pessoas pertencentes a família dos acusados, seguem presos... OPERAÇÃO MARTINELLI - esse é o nome apresentado de uma operação que começou ano passado, segundo a SSP/BA... https://agenciasertao.com/2021/07/19/policia-ainda-procura-por-seis-envolvidos-em-assassinatos-de-pms-na-zona-rural-de-vitoria-da-conquista/ https://agenciasertao.com/2020/07/16/operacao-prende-acusados-de-participar-do-assassinato-de-irmaos-em-carinhanha/ https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/07/29/homem-suspeito-de-integrar-quadrilha-apontada-como-responsavel-por-morte-de-irmaos-e-preso-na-ba.ghtml Pelo que se pode observar, foram: 2 Policiais mortos; 4 irmãos mortos (send