Pular para o conteúdo principal

RITA IZSÁK, ESPECIALISTA DA ONU SOBRE QUESTÕES DAS MINORIAS APRESENTA A SITUAÇÃO DOS ROMANI (CIGANOS) DO BRASIL


A relatora especial da ONU sobre questões das minorias, Rita Izsák, apresentou no dia 15 de junho de 2015 ao Conselho de Direitos Humanos na Assembleia Geral da ONU, 29ª Sessão, Tema 3 da Ordem do Dia que trata da Promoção e proteção de todos os direitos, direitos humanos, civis, políticos, econômicos, sociais e direitos culturais, incluindo o direito ao desenvolvimento, o relatório especial sobre a situação dos Ciganos da Europa e da América Latina.
“Na América Latina, a discriminação contra os ciganos foi importada com a migração Europeia, e os estereótipos negativos continuam presentes hoje, com relatos de que muitos ciganos não falam Romani em público por medo de discriminação ou represália. Em suas observações finais, o Comitê de Direitos Humanos e o Comitê para a Eliminação da Discriminação Racial notaram suas preocupações sobre a ocorrência generalizada de crimes de discriminação contra os ciganos no Brasil, incluindo os crimes racistas, e a falta de aplicação das disposições legais nacionais relevantes em casos envolvendo vítimas Romani”, destaca Rita Izsák.
Em seu relatório, Rita Izsák salienta as recomendações da ONU ao Brasil descritas na CERD/C/64/CO/2 de 28 de abril de 2004, e CCPR/C/BRA/CO/2 de 1 de dezembro de 2005, e a importância dos Estados Membros inserir em suas políticas locais estratégias de inclusão social que contemplem projetos não apenas do assistencialismo a erradicação da pobreza, mas sim estabelecer estratégias que possam contemplar a proteção e promoção de identidade, linguagem e cultura cigana, bem como garantias a sua dignidade e igualdade e participação política efetiva.
A AMSK considera o relatório importante instrumento de fortalecimento a nossa luta pela implementação de políticas públicas de defesa dos direitos humanos dos Povos Romani do Brasil, pois apresenta diretrizes para inclusão social claras e exequíveis, dentre as quais a de adotar medidas para combater a discriminação, hostilidade contra os ciganos e exposição à violência, e garantir o pleno exercício dos direitos humanos dos Romani superando a abordagem baseada na pobreza.

AMSK/Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

AMSK E A COMISSÃO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL – SECCIONAL RONDÔNIA REALIZAM DIÁLOGOS SOBRE A RESOLUÇÃO 181/2016 DO CONANDA

A Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil), o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA), Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério dos Direitos Humanos, e Ministério dos Direitos Humanos, realizou no dia 27 de novembro de 2018, o workshop Diálogos entre redes e fóruns de promoção e proteção dos direitos da criança e adolescente: perspectivas e desafios a partir da resolução nº 181/2016 do CONANDA, em parceria com a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia e a Casa de Cultura Ilê Asé D’Osoguiã (CCIAO). O evento realizado no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia teve a participação de representações do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente Estadual e Municipal, de movimentos sociais e organizações da sociedade civil atuantes na defesa dos direitos de crianças e adolescentes, e de profissionais da rede pública de promoção e prote…

AMSK/Brasil 10 ANOS

10 anos de luta

No último dia 05 de janeiro a AMSK/Brasil completou 10 anos oficialmente registrada. São muitas vitórias a se comemorar. São muitos desafios a vencer.
Desde a sua criação, a Organização vem buscando a criação de Políticas Públicas, a melhoria das agendas e a qualificação da pauta.
No ano de 2019 a AMSK/Brasil vai lançar um compilado dos 10 anos – AVANÇOS E DESAFIOS DA RROMÁ NO BRASIL. O documento que deverá ter a data da divulgação divulgada, passa pela memória de que nada deve ser construído sob a anulação ou a negação da histórica caminha política que vem sido feita.
Chega de separatismo, chega de divisão – existe a necessidade urgente de continuar construindo e cada vez de forma mais sólida e isso passa pelo aprimoramento das capacidades institucionais, o controle social e a participação social precisam urgentemente de serem qualificados. Dados e micro dados necessitam de respaldo crível, só assim podemos alcançar os meandros dessas políticas.
O Brasil precisa avan…

PESQUISA ... ALTERA 7ª Edição

AMSK/Brasil