Pular para o conteúdo principal

Aparecida de Goiânia sedia debate sobre Saúde dos Ciganos


                                   
A equipe da saúde - Governo do estado de Goiás e Ministério da Saúde



Sr. Alexsandro Castilho - liderança da comunidade Caldarax


 Conversa com a comunidade


 Oficializando o dia 27de Abril, como o Dia do Povo Romani
 O Minc esteve lá.

Cerca de 250 ciganos participaram, em Aparecida de Goiânia, Goiás, no período de 25 a 27 de abril, da Semana Municipal dos Povos Romani. Organizado pela Associação Internacional da Cultura Romani–Aicron, em parceria com a Associação Maylê Sara Kali, o evento contou com a participação de representantes dos Departamentos de Apoio à Gestão Participativa (Dagep)e de Ouvidoria Geral do SUS (Doges), ambos da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS).

A comemoração ao Dia Municipal do Povo Romani foi estabelecida por Lei Municipal, que instituiu a data comemorativa denominada ‘Dia Municipal dos Povos Romani (povos ciganos)’, que tem por objetivo dar maior visibilidade a este segmento populacional e as dificuldades enfrentadas no acesso aos serviços públicos, entre eles os serviços de saúde.

Durante o evento foram realizadas rodas de conversa com representantes do Doges e do Dagep, profissionais e gestores públicos e a comunidade cigana. A equipe da Ouvidoria Geral do SUS destacou a Ouvidoria Itinerante, ressaltando os problemas que a comunidade cigana enfrenta ao acessar os serviços de saúde. Ainda na roda, foram destaques as denúncias de cobrança de valores pelos serviços de saúde, desrespeito a Portaria MS 940, de 2011, sobre o Cartão Nacional do SUS e pela discriminação dos profissionais de saúde em relação à cultura Romani e suas especificidades e tradições.

Temas como a importância de acessar as ouvidorias, dos municípios, estados e do Ministério da Saúde pelo Disque 136, para obter informações, apresentar denúncias, reclamações e sugestões, o funcionamento do Sistema Único de Saúde e a importância da participação dos movimentos sociais, na sua implementação e controle, bem como as formas de participação da comunidade nas conferências e conselhos de saúde e os procedimentos para o cadastramento e como adquiri o Cartão SUS foram destaques nas Rodas de conversas.

A temática saúde também foi abordada em duas rodas de conversa, uma destinada a Saúde da Mulher e outra a Saúde do Homem. Em outro período foi destinado ao debate sobre Saúde, com a participação ainda dos representantes do Doges e do Dagep, da Ouvidoria da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás e do Cartão SUS da Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia, e da Coordenação de Políticas de Promoção da Equidade, da Secretaria Estadual de Saúde.

Lucimara Cavalcante (AMSK/Brasil) coordenou uma das Rodas de Conversa. O mote foi as possibilidades e a necessidade de Educação para Jovens e Adultos – uma antiga reivindicação da comunidade.  Outro assunto foi a preservação da língua – o idioma Romani, utilizado como modo de defesa da própria comunidade, e a necessidade de identificação correta e preservação da cultura específica da comunidade Romani Caldarax de Aparecida de Goiânia.

O evento também ofereceu prestação de serviços de diagnóstico e prevenção da Hipertensão e Diabetes, pela Secretaria Saúde. E ainda Rodas de Conversas coordenadas por Alexsandro Castilho (AICRON) abordando a organização da comunidade para obtenção de moradia digna. Drogas, alcoolismo e segurança também foram temas de debate neste evento, que contou com a presença do coordenador administrativo do Programa ser Livre, da Secretaria de Estado de Administração e Justiça de Goiás, Carlos Torres Cardoso.

Políticas de Promoção da EquidadeEntre as prioridades do Departamento de Apoio à Gestão Participativa (DAGEP) está o apoio ao processo de construção de Comitês Técnicos de Promoção da Equidade em Saúde nos estados e municípios, espaço de participação social e debate entre a gestão da saúde e os movimentos sociais.

Fonte e Fotos: Toni Ferreira do DAGEP

Postagens mais visitadas deste blog

8 DE ABRIL - DIA INTERNACIONAL DO POVO ROM

8 de Alpandí
Rromani Zor
Opré
Se os governantes esquecerem ... Lembraremos a todos e todas.
Se insistirem, pelo mundo afora, em calar nossa voz ou mesmo aprisionar nossa identidade ... continuaremos levantando nossa bandeira.
Afinal de contas nosso céu é azul em todo o planeta e teto do mundo, O verde dos campos, sem fronteiras, corre a extensão de tudo o que vive, a casa de todos(as) nós.
Nossa liberdade foi conquistada com o sangue de muitos ... com a roda de um povo espalhado por todos os países do mundo. Hoje temos a missão de lembrar as novas gerações que sobrevivemos a reis, papas, rainhas e exércitos, a guerras infinitas e ao Porrajmos (holocausto).
Faz sentido todos os dias viver pela Rromá de 1971: 14 representações da rromá (de 14 países) se reuniram em 8 de abril de 1971.



“o céu é meu teto, A terra minha pátria,
Liberdade minha religião.”

Faz sentido todas as cerimônias Do Rio, que ocorrem em várias partes do mundo. Todas as cerimônias das rosas vermelhas e azuis – “jamais esquecerei” o…

CONANDA E CNAS PRESTAM HOMENAGEM AO DIA NACIONAL DO POVO ROM – OS ASSIM CHAMADOS CIGANOS

No dia 24 de maio se celebra o Dia Nacional do Povo Rom – os assim chamados ciganos – do Brasil, instituído peloDecreto Presidencial de 26 de maio de 2006.
Conselheiras/os do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA), reunidos na 272ª Assembleia Ordinária, em Brasília - DF, prestam homenagem aos romani (ciganas e ciganos) do país, e parabenizaram a Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil), entidade da sociedade civil membro do CONANDA, pelos trabalhos realizados na defesa e garantia dos direitos humanos. A Conselheira Lucimara Cavalcante, representante da AMSK/Brasil, destacou as conquistas e os desafios para ação afirmativa ao Povo Rom (ciganos) do país, e disponibilizou a publicação “Datas de celebração e luta pelos direitos dos Povos Romani (Ciganos)” aos participantes.

Conselheiras/os do Conselho Nacional da Assistência Social (CNAS), reunidos na 264ª Reunião Ordinária, em Porto Alegre - RS, prestam homenagem aos romani do país, e em especial a…

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal.
“Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de concentração de …