Mais uma vitória! Colégio Objetivo excluirá texto discriminatório com relação aos ciganos de seus materiais didáticos

A história começa assim...

Em 2015, ao se deparar com um texto de conteúdo estereotipado e discriminatório em uma das apostilas do Colégio Objetivo, o cigano Daniel Rolim, integrante da AMSK/Brasil, apresentou uma denúncia ao Ministério Público Federal.

E este foi apenas o começo...

No Brasil, sofremos de uma descrença, muitos vezes justificada, com relação à atuação das instituições públicas. Mas o fato é que, apesar de todas as falhas, conflitos e resistências que encontramos em muitas delas, quem tem olhos para ver é capaz de identificar pessoas dentro destas instituições que atuam de forma série e competente, e que por meio de seu trabalho dão uma contribuição fundamental para a defesa e promoção dos direitos humanos.

A partir da denúncia apresentada por Daniel, foi aberto Inquérito Civil Público contra o Colégio Objetivo, e o Ministério Público Federal solicitou informações acerca do conteúdo discriminatório contra os povos ciganos identificado em uma das apostilas desta instituição de ensino, em um trecho da obra "Um Sertanejo na Corte", de Martins Penna. A síntese da argumentação apresentada pelo Colégio Objetivo em resposta à solicitação do Ministério Público Federal aponta que:

"Muitas obras do século XIX  podem ter conteúdo muito polêmico em relação aos valores de nosso século. Elas sempre são contextualizadas por nossos professores, que enfatizam o fato de elas terem sido escritas numa sociedade escravagista, eurocêntrica, machista e discriminatória".
(...)
"Vale destacar também que imenso número de obras universais, não só da literatura, mas de todas as artes e ciências, contêm citações depreciativas aos mais variados grupos humanos, gêneros e etnias, mas sempre, sob qualquer ângulo analisado, devem ser estudadas à luz do contexto histórico/geográfico/humanístico no qual foram produzidas e nunca analisadas de maneira estanque, somente como ponto de vista atual".

Além desta explicação, o Colégio Objetivo se comprometeu a excluir o trecho do texto de Martins Penna que apresenta conteúdos discriminatórios contra os ciganos.

A produção de material didático que de fato dê visibilidade à contribuição dos povos ciganos para a construção cultural e social de nosso país segue sendo um desafio, assim como a formação e capacitação dos e das profissionais de educação em temas como o racismo e a discriminação étnica e racial. Em tempos de redução de direitos, é urgente que o espaço da escola se torne cada vez mais um espaço de respeito à diversidade, de promoção da igualdade e de concretização dos direitos humanos. Ainda há um longo caminho a ser percorrido... Porém, como sempre ressaltamos:

 "Quando caminho é longo, não se deve andar sozinho..."

Celebremos, então, esta importante vitória alcançada neste início de 2016! E que estes ventos de transformação sejam a marca deste ano! 

Postagens mais visitadas deste blog

RESOLUÇÃO CONANDA Nº 180 DISPÕE SOBRE A IGUALDADE DE DIREITOS DE MENINAS E MENINOS

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

MANIFESTO EM DEFESA DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA – BPC