Pular para o conteúdo principal
RITA IZSÁK, RELATORA ESPECIAL PARA QUESTÕES DE MINORIAS DA ONU EM MISSÃO TÉCNICA NO BRASIL


Na tarde do dia 17 de setembro, na sede do CEERT – Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades, em São Paulo, a Relatora Especial para Questões de Minorias da Organização das Nações Unidas, Rita Izsák, esteve reunida com representantes de entidades do Movimento Negro, LGBT, povos de religiões de matriz africana, ciganos, imigrantes e outras organizações voltadas à promoção dos direitos humanos.

A AMSK/Brasil esteve presente na reunião, momento em que apresentou os dados e informações sobre os Povos Romani (ciganos) do Brasil e os avanços nas políticas públicas nas áreas de educação e saúde. Destacou a morosidade dos organismos governamentais na esfera federal, estadual e municipal na implantação do Programa Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH-3), que dá o direito aos povos romani e dos demais povos e comunidades tradicionais viverem conforme as suas tradições e costumes. Destacou a importância de avançarmos em ações afirmativas para proteção das crianças e jovens de todos os segmentos da sociedade do país.

Outro ponto importante foi  levar ao conhecimento da consultora que a implementação da Convenção 169 no Brasil, não nomeou ciganos, como sujeitos de direitos.




http://ceert.org.br/noticias/8316/relatora-da-onu-dialoga-com-movimentos-sociais-no-ceert

Na reunião que contou com movimentos sociais das mais diversa esferas, acompanharam a AMSK á Consultora especial d AMSK e Diretor de DH d AMSK -Ariadyne Acunha e Daniel Rolim.


AMSK/Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam

  COMUNICADO PÚBLICO #VidasRomanyImportam É preciso dizer #Dosta #Basta   A Union Romani Iternactional – IRU/ Office Agency Brazil , por meio do escritório da AMSK/Brasil e de seus delegados/membros do Brasil e da Argentina, AICRON/Brasil, Observatorio de Mujeres Gitanas/AR - BR, Leshjae Kumpanja, ZOR/AR, Federação Romani e Academia de Letras Romani, Urban Nômades e suas representações estaduais , vem por meio desta expressar sua preocupação com a escalada de violência que está acontecendo no estado da Bahia desde o dia 13 de julho de 2021 – no município de Vitória da Conquista e redondezas.   #VidasRomanyImportam  #RomanyLivesImport   “São dias de terror” dizem alguns, outros relatam cenas de chacina, pavor e queima de carros e casas. No meio desse estouro de mais um episódio de violência, estão: um adolescente, mulheres vítimas de arma de fogo, crianças e idosos. Precisamos falar das manchetes midiáticas que retiram a identidade dessas pessoas e coaduna

#VidasRomanyImportam

 Sobre o caso: VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Hoje, dia 19 julho de 2021 várias reuniões aconteceram e espera-se que tudo corra bem. As perseguições aos dois cidadãos acusados da morte dos dois policiais no dia 13/07 continua e foram elencados como criminosos mais seis membros da mesma família. Várias barreiras foram feitas. Consta também que várias pessoas pertencentes a família dos acusados, seguem presos... OPERAÇÃO MARTINELLI - esse é o nome apresentado de uma operação que começou ano passado, segundo a SSP/BA... https://agenciasertao.com/2021/07/19/policia-ainda-procura-por-seis-envolvidos-em-assassinatos-de-pms-na-zona-rural-de-vitoria-da-conquista/ https://agenciasertao.com/2020/07/16/operacao-prende-acusados-de-participar-do-assassinato-de-irmaos-em-carinhanha/ https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/07/29/homem-suspeito-de-integrar-quadrilha-apontada-como-responsavel-por-morte-de-irmaos-e-preso-na-ba.ghtml Pelo que se pode observar, foram: 2 Policiais mortos; 4 irmãos mortos (send

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal. “Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de con