Pular para o conteúdo principal

UMA MENTIRA REPETIDA ADEQUADAMENTE MIL VEZES, SE CONVERTE EM UMA VERDADE.



UMA MENTIRA REPETIDA ADEQUADAMENTE MIL VEZES, SE CONVERTE EM UMA VERDADE.


Goebbles (Ministro da propaganda Nazi)

O maior marqueteiro dos nazista, enumerou as 11 regras básicas para acabar com homens, governos, países, nações, povos, etnias e qualquer um que se colocasse entre as verdades de Hitler e o poder supremo ariano.

Fez isso com mais de meio milhão de ciganos e nos tempos atuais, vemos pseudos ciganos discutindo raça pura. Há de fato um sentimento de nojo, mas não deixa de ter uma certa vergonha. Em tempos de rede social, de valores vagos, de analfabetismo funcional, ignorância cultivada e estereótipo estilo garrafas de rum montilla, nos lembramos do Racismo Cultural, que arranca de uma etnia seu significado mais profundo e implanta no cotidiano frágil das redes sociais e gabinetes do poder público, fantasias místicas, que de longe lembram o mais puro nazismo.

A vergonha fica por conta por conta da ganância de alguns, poucos, mas que até hoje, insistem em tentar demarcar território, baseados na ignorância, prepotência e total desconhecimento.




El racismo culturalista es una visión corta y estanca que 
nos conduce a atribuir a la propia comunidad afectada 
la responsabilidad total de su situación, en vez de hablar de 
cómo la sociedad mayoritaria (países poderosos), 
de una forma explícita o más sutil, 
niega el acceso a los derechos básicos.

Baxtalo's 

O que move a pauta cigana, são valores, pessoas, justiça e ideais.

AMSK/Brasil 

 Eis as 11 propostas de Goebbles que infelizmente ainda são usadas até hoje e vergonhosamente por pseudos ciganos:

1. SIMPLIFICAÇÃO OU DO INIMIGO ÚNICO. Adotar uma única idéia, um único símbolo. Individualizar o adversário em um único inimigo.  

2. MÉTODO DO CONTÁGIO. Reunir diversos adversários em uma só categoria, em uma soma individualizada. 

3. TRANSPOSIÇÃO. Carregar sobre os adversários seus próprios erros e defeitos, respondendo ataque com ataque. Se não podes negar as más notícias, invente outras que as distraiam. 

4. EXAGERAR E DESFIGURAR. Converter qualquer história, por menor que seja, em ameaça grave. 

5. VULGARIZAÇÃO. Toda propaganda deve ser popular, adaptando seu nível ao menos instruído dos indivíduos aos quais se dirija. Quanto maior a massa a convencer, menor o esforço mental a realizar. A capacidade receptiva das massas é limitada, sua compreensão escassa e tem grande facilidade para esquecer. 

6. ORQUESTRAÇÃO. A propaganda deve limitar-se a um número pequeno de idéias e repeti-las incansavelmente, apresentando-as uma e outra vez, de diferentes perspectivas, mas sempre convergindo para o mesmo conceito, sem fissuras nem dúvidas. 

7. RENOVAÇÃO. Emitir sempre, informações e argumentos novos a um ritmo tal que quando o adversário responde, o público já esteja interessado em outra coisa. 

8. VEROSSIMILHANÇA. Construir argumentos a partir de fontes diversas, através de informações fragmentárias. 

9. SILENCIAÇÃO. Encobrir as questões sobre as quais não tenha argumentos e dissimular as notícias que favorecem o adversário, contra programando com a ajuda dos meios de comunicação afins. 

10. TRANSFUSÃO. A propaganda sempre opera a partir de um substrato preexistente, seja uma mitologia nacional, ou um complexo de ódios e preconceitos tradicionais. Trate de difundir argumentos que possam se agarrar em atitudes primitivas. 

11. UNANIMIDADE. Convencer a muita gente de que pensa "como todo mundo", criando uma (falsa) impressão de unanimidade.

Essa última até poderia significar: o falso interesse na pauta cigana para todos, sendo que no fundo, o que mais importa é o ganho e a vantagem pessoal.

AMSK/Brasil compreende, que para construir um país melhor, para todos os ciganos, o separatismo e a ignorância, devam dar lugar a dias mais verdadeiros.



Postagens mais visitadas deste blog

8 DE ABRIL - DIA INTERNACIONAL DO POVO ROM

8 de Alpandí
Rromani Zor
Opré
Se os governantes esquecerem ... Lembraremos a todos e todas.
Se insistirem, pelo mundo afora, em calar nossa voz ou mesmo aprisionar nossa identidade ... continuaremos levantando nossa bandeira.
Afinal de contas nosso céu é azul em todo o planeta e teto do mundo, O verde dos campos, sem fronteiras, corre a extensão de tudo o que vive, a casa de todos(as) nós.
Nossa liberdade foi conquistada com o sangue de muitos ... com a roda de um povo espalhado por todos os países do mundo. Hoje temos a missão de lembrar as novas gerações que sobrevivemos a reis, papas, rainhas e exércitos, a guerras infinitas e ao Porrajmos (holocausto).
Faz sentido todos os dias viver pela Rromá de 1971: 14 representações da rromá (de 14 países) se reuniram em 8 de abril de 1971.



“o céu é meu teto, A terra minha pátria,
Liberdade minha religião.”

Faz sentido todas as cerimônias Do Rio, que ocorrem em várias partes do mundo. Todas as cerimônias das rosas vermelhas e azuis – “jamais esquecerei” o…

CONANDA E CNAS PRESTAM HOMENAGEM AO DIA NACIONAL DO POVO ROM – OS ASSIM CHAMADOS CIGANOS

No dia 24 de maio se celebra o Dia Nacional do Povo Rom – os assim chamados ciganos – do Brasil, instituído peloDecreto Presidencial de 26 de maio de 2006.
Conselheiras/os do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (CONANDA), reunidos na 272ª Assembleia Ordinária, em Brasília - DF, prestam homenagem aos romani (ciganas e ciganos) do país, e parabenizaram a Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil), entidade da sociedade civil membro do CONANDA, pelos trabalhos realizados na defesa e garantia dos direitos humanos. A Conselheira Lucimara Cavalcante, representante da AMSK/Brasil, destacou as conquistas e os desafios para ação afirmativa ao Povo Rom (ciganos) do país, e disponibilizou a publicação “Datas de celebração e luta pelos direitos dos Povos Romani (Ciganos)” aos participantes.

Conselheiras/os do Conselho Nacional da Assistência Social (CNAS), reunidos na 264ª Reunião Ordinária, em Porto Alegre - RS, prestam homenagem aos romani do país, e em especial a…

DIA DA RESISTÊNCIA ROMANI - 16 de Maio

Sinti e Roma sempre lutaram contra a privação de seus direitos e seu registro “racial” desde o início. Eles protestaram contra leis discriminatórias e tentaram obter a libertação de membros da família deportados através de petições ou intervenção pessoal.
“Muitos dos nossos homens estavam na Grande Guerra e lutaram pela pátria, assim como por qualquer outra. No entanto, o Dr. Portschy não considerou isso. Dr. Portschy tirou todos os nossos direitos civis ... Sempre fomos católicos romanos e, portanto, vejo-me forçado a apresentar uma queixa de todos nós nos mais altos cargos do governo do Reich. ”(Carta de protesto de Franz Horvath de Redlschlag ao governo do Reich datado de 12.5.1938) Nota: Tobias Portschy, primeiro Gauleiter de Burgenland, foi uma das forças motrizes da “política racial” dirigida aos Sinti e Roma depois do “Anschluß” da Áustria. Poucas semanas depois de escrever a carta, Franz Horvath, 63 anos, foi preso como “manifestante” e deportado para o campo de concentração de …