CONSTRUINDO UMA IDENTIDADE - PARTE I



Mudando os modelos de construção de um estereótipo.


Construindo uma identidade.


Sabemos que as afirmações feitas em estudos e pesquisas, sobre quem são e o que significa ser de etnia romani (os assim chamados ciganos) possui uma variedade enorme de interpretações e formas de expressão diferenciadas.



Isso causa problema, dos grandes, quando pensamos em Brasil – essa pátria nem tão mãe gentil, mas que com certeza; pátria amada Brasil. Infelizmente as causas para isso, estão interligadas na grande mistura da população brasileira, entretanto o povo brasileiro foi erguido com três tipos de massas, três componentes de grande importância e de grande riqueza cultural. Três construções que sofreram e sofrem uma perseguição distinta, direcionada e profunda: índios, negros e ciganos.



 Comunidade Caldarax/GO

Não vamos aqui relatar casos de equívocos, esses até podem ser perdoados, mas devem ser banidos. Os ciganos foram retirados dos livros de estudo e dos livros de pesquisa no Brasil, por sorte se conta algumas referencias de sua chegada, mas isso também é permeado pela discórdia e pela ira que sempre se teve do povo cigano.


Já ouvimos de tudo e tudo se parece encaixar. Aqueles escritores e autores que ousam dizer a verdade: “Acredito que os ciganos estão entre os povos que evoluíram, pois mantiveram a duras penas sua forma de vida”. Ático Vilas Boas. Infelizmente acredita-se ainda que a barraca seja a expressão máxima da cultura, o analfabetismo, a violação dos casamentos infantis, o machismo e o mal empenho para o emprego, fazem deles todos ... sem exceção vagabundos e ladrões. As saias de 7 metros, a leitura da mão e adivinhações, a devoção e a religião que se imagina que todo cigano tenha também entra nesse hall de mal entendido que perdura por dois motivos:




 Rom Matchuaiwa

i. O imaginário e o lúdico são mais fáceis de manipular, não possuem vontade própria, portando podem figurar entre as bruxarias e as fadas encantadas do bosque;

ii. Até hoje a história de cada país é permeada por um ou mais bodes expiatórios. Foi e ainda é assim com os ciganos. Uma desculpa fácil para se explicar o erro, o azar e o mal feito das coisas. Para isso temos os Ciganos.


A construção da identidade os cidadãos e cidadãs brasileiros de etnia romani – os ciganos, é de fato um assunto que requer respeito, atenção e flexibilidade. Respeito para aceitar o modo de vida da romanipen – da manutenção desses costumes e tradições, que são internos, pertencem a cada família e é construído de forma a manter a unidade familiar e resguardar as futuras gerações. Atenção pois o Brasil talvez seja o único país do mundo onde ser ciganos é bonitinho, então lenços e brincos para os homens, no estilo pirata do caribe passam a ser a regra e sais de 7 metro, sedução a toda prova e riqueza inesgotável para a direcionar a vidas das mulheres. Basta prestar atenção, mais nada, levantar a cabeça e olhar de fato. Basta querer diferenciar a fantasia que tanto tem prejudicado o povo cigano e a realidade que é construída a duras penas todos dias pelo povo romani. A flexibilidade vem por conta do esforço e da compreensão de que todo povo marginalizado e excluído, um dia resolve ir pela outra opção do caminho, mudar de rota talvez e daí vem sempre o sentimento de perda. Perdemos o brinquedinho, cadê o cigano.



 Matchuaiwa, Caldarax e Calon

É fato; as coisas costumam se complicar mesmo, afinal de contas, manter a identidade e buscar sobrevivência, significa colocar valores a prova de uma sociedade que tem certeza de quem são esses cidadãos ... Os assim chamados ciganos. As sais precisam ser coloridas, tem que ser, elas são mais importantes que as próprias mulheres. Já is me esquecendo: além de toda cigana ser parteira e bruxa, todo homem tem que andar de chapéu, cinto de vaqueiro e colete colorido.


Cigano com emprego fixo, eis mais um absurdo, afinal de contas, essas coisas não são pra cigano. Todo cigano sabe roubar, aprende desde criança a burlar e a enganar. E assim se segue o lógico real do imaginário. Uma das novidades (que sempre aconteceu, mas que ninguém abria a boca), é o absurdo que se comete nos hospitais, quando um cigano é internado e se auto identifica: a família não pode entrar, pois o hospital pode ser invadido a qualquer momento, além disso se for particular, corram; chamem a polícia, precisam pagar uma calção e assim por diante. Não há plano de saúde que cubra, afinal de contas ciganos rouba a qualquer hora e em qualquer situação.

Acho que o nosso título deveria ser: desconstruindo a atual identidade cigana. Assim quem sabe o povo saia da casinha e se situava melhor.

Outra onda perigosa que anda acontecendo é em relação à religião. Além do misticismo só apresentar a cigana com bola de cristal, cartas e lendo a mão, o homem vem com os símbolos do horóscopo cigano ... um dos mais conhecidos, pelos não ciganos é claro.

Todos tem liberdade de escolher sua religião no Brasil, não os ciganos. Eles já são a própria religião, com poções mágicas e danças específicas feitas em volta das fogueiras – claro que para muitos ciganos, a fogueira servia de fogão, de lugar de conversa e de reunião familiar, afastava bichos e aquecia no inverno e no frio. Assim sendo a maça encantada e banhada na lua cheia, pode ser traduzida como a fruta que estava no pé e portanto foi colhida para fazer um chá de maça ou uma compota – ambas famosas na culinária tradicional cigana, frutos da fome e da necessidade, como hoje ainda se vê as compotas e doces de época, muitas dessas desenvolvidas sob tachos de cobre – genuinamente ciganos. A semelhança não é mera coincidência. 



 Acampamento Calon

Perguntem quantos não ciganos frequentam cultos evangélicos de igrejas ciganas? Os cultos são em romanês na maioria dos lugares e fica difícil imitações e artigos genéricos. Nas romarias, quantos falsos ciganos aparecem? Desconheço ... poucos no Brasil conhecem Nossa Senhora Gitana, mas é fácil de identificar seus devotos, Santa Luzia, Nossa senhora Aparecida, São Jorge, Sara e o menino Jesus são uma constante nas expressões religiosas culturais do povo cigano. Nas festas de São João e na devoção a festa do Divino também podemos encontrar famílias inteiras dedicadas a devoção. Algumas expressões do espiritismo e suas varias formas de devoção também são inseridas no cotidiano dos ciganos, além do Islamismo e outras formas de religião ou opção religiosa; como preferirem. Resumindo, a construção da identidade de um cidadão ou cidadã de etnia romani (cigana) e sua construção de organização familiar, vem acima, puxando a opção religiosa de cada núcleo.


De fato o que mais perturba é a formação atual de uma onda chamada Religião Cigana – que de forma irresponsável, se apropria da identidade de um POVO que se divide em várias ETNIAS...



Alguns trabalhos sérios podem ser lidos em www.amsk.org.br em estudos e pesquisas.

 trabalho e pesquisa
AMSK/Brasil


Postagens mais visitadas deste blog

NOTA PÚBLICA DO CONANDA SOBRE A DECISÃO DO STF QUE PÔS FIM À VINCULAÇÃO HORÁRIA DA CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA (ARTIGO 254 DO ECA)

RESOLUÇÃO CONANDA Nº 180 DISPÕE SOBRE A IGUALDADE DE DIREITOS DE MENINAS E MENINOS

PROJETO KALINKA PROMOVE AULA TEMÁTICA AOS DISCENTES DO CURSO DE SAÚDE COLETIVA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA