Pular para o conteúdo principal

Dia Internacional dos Povos Ciganos: PFDC destaca atuação para garantia de direitos dos romani




Brasília, 8 de abril de 2014.

 

Dia Internacional dos Povos Ciganos:
PFDC destaca atuação para garantia de direitos dos romani

É celebrado hoje (8/4) o Dia Internacional dos Povos Romani (Ciganos). A data foi instituída em 1990 com o objetivo de dar visibilidade ao racismo e às graves violações de direitos humanos que atingem este grupo.
No Brasil, organizações de defesa dos direitos dos povos ciganos se mobilizam a fim de que o País não apenas reconheça a presença dos romani em seu território, mas também se comprometa com o enfrentamento ao racismo que atinge homens e mulheres, cidadãos e cidadãs brasileiros dos assim chamados ciganos.
A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) vem contribuindo nesta estratégia, promovendo uma contínua interlocução com os órgãos responsáveis pelas políticas públicas de habitação, saúde, educação, justiça e direitos humanos. Realizado em conjunto com a 6ª Câmara de Coordenação do MPF, esse trabalho envolve a articulação junto ao Parlamento e a instituições do poder público responsáveis pela implementação dos direitos econômicos, sociais e culturais dos povos ciganos, além do reconhecimento e valorização das histórias, culturas e realidades dos grupos e comunidades de culturas ciganas no Brasil.
Em dezembro de 2012, por exemplo, a PFDC e a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal promoveram audiência pública para avaliar, propor e fortalecer ações públicas que assegurem o respeito à diversidade cultural, à igualdade e não discriminação dos povos ciganos. Na oportunidade, foi estabelecido um conjunto de medidas a serem implementadas pelo poder público.
Desde então, a PFDC tem fortalecido o diálogo com instituições como a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, o Ministério das Cidades, o Ministério da Saúde e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), além de receber representações dos romani a fim de conhecer os desafios enfrentados por essa população.
Segundo o procurador federal dos Direitos do Cidadão adjunto Luciano Maia, a defesa dos direitos dos povos ciganos é uma pauta nacional da PFDC. "Há um olhar nacional que a PFDC faz, mas a dimensão do olhar nacional precisa descer ao chão concreto da realidade de onde vivem as comunidades. Por isso, a necessidade de dialogar com as comunidades e autoridades locais", defende.
Procuradores dos Direitos do Cidadão - A defesa dos direitos dos romani também tem estado na pauta de atuação de procuradores dos Direitos do Cidadão em diferentes estados do País. Na última quinta-feira, por exemplo, foi realizada na cidade de Poços de Caldas/MG audiência pública para coletar informações sobre violações contra ciganos que residem na região e que vêm enfrentando dificuldades no acesso a direitos como educação, saúde e habitação.
A Procuradoria dos Direitos do Cidadão na Paraíba também promoveu audiência pública sobre o tema, realizada na cidade de Patos. Na ocasião, foram construídas coletivamente uma série de iniciativas para o enfrentamento dos problemas que atingem as comunidades ciganas daquela localidade. O município de Sousa, também na Paraíba, sediou outra audiência pública sobre o tema. Na oportunidade, os representantes do Ministério Público Federal realizaram visita a diversas comunidades ciganas da região.

Postagens mais visitadas deste blog

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

O Dia Nacional do Cigano, 24 de maio, foi instituído por Decreto Presidencial, 25 de maio de 2006, como ação afirmativa para salvaguarda e o respeito a cultura de um povo que faz parte do processo organizativo brasileiro.
As ações da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK) desde o ano 2009 tem se dedicado ao levantamento, sistematização e ampla divulgação de informações sobre o Povo Rom (os assim chamados ciganos) quanto as suas especificidades, tradições, necessidades, condições de vida e obstáculos enfrentados no acesso a direitos fundamentais. E tem pautado os poderes públicos brasileiro para a necessidade do fortalecimento das capacidades dos agentes públicos para interpretação dos direitos e adequação dos serviços relacionados ao atendimento dessa parcela da população brasileira.
A Secretaria de Gestão Estratégia e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou no dia 10 de novembro de 2016, a cartilha Subsídiospara o Cuidado à Saúde do Povo Cigano, elaborada pelo De…

RNPI MANTEM A LUTA EM DEFESA DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Carta aberta ao Ministério dos Direitos Humanos sobre Recomendações ao Brasil feitas no III Ciclo do Mecanismo de Revisão Periódica Universal (RPU) 
A REDE NACIONAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA, articulação nacional de organizações governamentais e não-governamentais, comprometida com a defesa e promoção dos direitos das crianças de zero a seis anos de idade, analisando as Recomendações do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas vem expor e requerer o seguinte: 
1. A Revisão Periódica Universal (RPU), criada pela Assembleia Geral da ONU em 15 de março de 2006, pela Resolução 60/251, é importante instrumento para que os 193 Estados membros das Nações Unidas, de forma cooperativa, avancem no cumprimento de suas obrigações de direitos humanos; 
2. Conforme preconiza o artigo 227 da Constituição Federal de 1988, compete à família, a sociedade e ao poder público a proteção integral de crianças e adolescentes no Brasil, além de consagrar nesta Carta Política outras garantias fundamentais como a…

INFORMATIVO ATENDIMENTO A POVOS CIGANOS NO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS

Como desdobramento da Oficina “SUAS e o atendimento a Povos Ciganos”, realizada no dia 28 de junho de 2017, a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social (SNAS/MDS) lança o Informativo “Atendimento a Povos Ciganos no SUAS”com o objetivo de subsidiar os profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no atendimento adequado aos Povos Ciganos, respeitando suas tradições e cultura. Conhecer um pouco das especificidades dos Povos Ciganos auxilia no combate à discriminação, preconceito e racismo institucional, propiciando maior visibilidade a este povo e garantindo o acesso a benefícios, serviços e direitos.
O documento é resultado do trabalho realizado pelo Departamento de Proteção Social Básica da SNAS/MDS com a colaboração da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil). Fomentar a aplicação da política pública de assistência social para o Povo Rom – os assim chamados ciganos – no país. 
A AMSK/Brasil agradece a todas/os do Povo …