XVIII PRÊMIO ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS

As vezes a vida nos prega algumas peças e nos tira o fôlego, isso aconteceu na vida do Profº Flávio José, mas; ele de certa forma e só Deus sabe como, soube superar. Como? Em parte, não sabemos, mas daquilo que podemos dizer está a resistência. Talvez por ser nordestino, talvez por ter um coração grande, mas pode ser porque aqueles que possuem caráter, como o do professor tem uma grandeza diferente, daquelas que não fazem alarde, trabalham. Sendo assim, desejamos a esse homem, a essa pessoa, cidadão do mundo, caminhante de sua própria estória, toda a felicidade e o respeito do mundo, porque a nossa ele já tem.

AMSK/Brasil


"Este prêmio que me será concedido, é resultado de um trabalho de pesquisa que por mais de 15 anos tenho realizado com os povos tradicionais em situação de itinerância, no nosso país e em especial no nosso estado do Rio Grande do Norte. Na minha condição de professor-pesquisador, educador social, mestre e agora doutorando em educação, busco restituir através das minhas pesquisas e publicações, os direitos dos povos ciganos, a reconstrução da sua história, a recuperação da memória histórica e sua inclusão no mundo dos considerados "estabelecidos". Me sinto feliz e reconhecido pela premiação, que também é um objeto de Educação em Direitos Humanos. Quero agradecer em especial ao grupo do DHnet Direitos Humanos e convidar a todos os amigos (as) , colegas de trabalho, professores, colegas de estudos, familiares e sobretudo aos ciganos e ciganas que dão falas e vidas nas minhas produções acadêmicas. A premiação acontecerá no dia 18/12, às 10 h, no Plenário da Câmara de Vereadores de Natal-RN." Flávio José de Oliveira. Conto com sua valiosa presença.

Postagens mais visitadas deste blog

RESOLUÇÃO CONANDA Nº 180 DISPÕE SOBRE A IGUALDADE DE DIREITOS DE MENINAS E MENINOS

PROJETO KALINKA PROMOVE AULA TEMÁTICA AOS DISCENTES DO CURSO DE SAÚDE COLETIVA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)