Pular para o conteúdo principal

Ministério Público promove encontro com os movimentos sociais para avançar na pauta da defesa dos direitos fundamentais

Nos dias 2 e 3 de dezembro de 2013, o Ministério Público realizou o I Encontro Nacional do Ministério Público e Movimentos Sociais em Defesa dos Direitos Humano. Esta iniciativa inédita faz parte do conjunto de atividades que vem sendo promovidas pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no âmbito da recém criada Comissão de Acompanhamento da Atuação do Ministério Público na Defesa dos Direitos Fundamentais. Esta Comissão tem o papel de fortalecer a atuação do Ministério Público como agente de transformação da realidade social, estimulando suas atribuições institucionais em defesa dos direitos fundamentais, em sintonia com as disposições da Constituição Federal que definem suas funções.

Com o intuito de fortalecer o papel do Ministério Público em um contexto social que exige ações efetivas para a defesa dos direitos fundamentais, o CNMP avaliou como sendo de importância central o estabelecimento de um diálogo mais direto e efetivo com os movimentos sociais, de forma a construir uma agenda de trabalho que de fato atenda às necessidades prementes dos diferentes setores da sociedade brasileira atingidos por diversas violações dos direitos fundamentais e dos direitos humanos.

As discussões foram realizadas no âmbito de sete Grupos de Trabalho (GT) que abordaram os mais diferentes temas, desde a defesa do meio-ambiente, até as questões relativas ao enfrentamento ao racismo e à violência doméstica. A AMSK/Brasil e as lideranças romani presentes participaram do Grupo de Trabalho 1 - Proteção à saúde e do Grupo de Trabalho 4 - Enfrentamento ao racismo e promoção da diversidade étnica e cultural. No âmbito destes grupos, pautamos as questões específicas que atingem os povos romani e encaminhamos recomendações para o fortalecimento deste tema no âmbito da atuação da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais. 

O evento cumpriu o seu papel, e seu valor e ineditismo devem ser reconhecidos e valorizados. Considerando sua função, constitucionalmente definida, de "zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados nesta Constituição, promovendo as medidas necessárias a sua garantia" (Art. 129, II), o Ministério Público, com esta iniciativa, de fato se afirma como um aliado dos movimentos sociais na defesa dos direitos fundamentais e dos direitos humanos. Porém, o I Encontro Nacional representa o início de um processo que necessita ter continuidade para que de fato floresça e faça a diferença na vida dos cidadãos e cidadãs brasileiros.

Para os povos romani, esta é uma ação fundamental que, esperamos, se propague e se fortaleceça no nível estadual e municipal, transformando o Ministério Público em uma instituição que não se pretende neutra ou imparcial, mas sim uma instituição que está claramente ao lado da defesa da democracia concreta, real, para todas cidadãs e todos os cidadãos brasileiros.

Foto:CNMP
(Da esquerda para a direita, Herta Rolim, da Ouvidora Nacional da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Marcia Vasconcelos e Lucimara Cavalcanti, da AMSK/Brasil, e Sr. Nestor, liderança da comunidade romani do município de Sousa, na Paraíba).

Para maiores informações sobre o I Encontro Nacional, acesse: 
http://www.cnmp.mp.br/portal/noticia/5020-direitos-fundamentais-cnmp-lanca-portfolio-de-projetos

Para maiores informações sobre a Comissão de Defesa dos Direitos fundamentais, acesse:
http://www.cnmp.mp.br/portal/defesa-dos-direitos-fundamentais




















Postagens mais visitadas deste blog

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

O Dia Nacional do Cigano, 24 de maio, foi instituído por Decreto Presidencial, 25 de maio de 2006, como ação afirmativa para salvaguarda e o respeito a cultura de um povo que faz parte do processo organizativo brasileiro.
As ações da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK) desde o ano 2009 tem se dedicado ao levantamento, sistematização e ampla divulgação de informações sobre o Povo Rom (os assim chamados ciganos) quanto as suas especificidades, tradições, necessidades, condições de vida e obstáculos enfrentados no acesso a direitos fundamentais. E tem pautado os poderes públicos brasileiro para a necessidade do fortalecimento das capacidades dos agentes públicos para interpretação dos direitos e adequação dos serviços relacionados ao atendimento dessa parcela da população brasileira.
A Secretaria de Gestão Estratégia e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou no dia 10 de novembro de 2016, a cartilha Subsídiospara o Cuidado à Saúde do Povo Cigano, elaborada pelo De…

RNPI MANTEM A LUTA EM DEFESA DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Carta aberta ao Ministério dos Direitos Humanos sobre Recomendações ao Brasil feitas no III Ciclo do Mecanismo de Revisão Periódica Universal (RPU) 
A REDE NACIONAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA, articulação nacional de organizações governamentais e não-governamentais, comprometida com a defesa e promoção dos direitos das crianças de zero a seis anos de idade, analisando as Recomendações do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas vem expor e requerer o seguinte: 
1. A Revisão Periódica Universal (RPU), criada pela Assembleia Geral da ONU em 15 de março de 2006, pela Resolução 60/251, é importante instrumento para que os 193 Estados membros das Nações Unidas, de forma cooperativa, avancem no cumprimento de suas obrigações de direitos humanos; 
2. Conforme preconiza o artigo 227 da Constituição Federal de 1988, compete à família, a sociedade e ao poder público a proteção integral de crianças e adolescentes no Brasil, além de consagrar nesta Carta Política outras garantias fundamentais como a…

INFORMATIVO ATENDIMENTO A POVOS CIGANOS NO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS

Como desdobramento da Oficina “SUAS e o atendimento a Povos Ciganos”, realizada no dia 28 de junho de 2017, a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social (SNAS/MDS) lança o Informativo “Atendimento a Povos Ciganos no SUAS”com o objetivo de subsidiar os profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no atendimento adequado aos Povos Ciganos, respeitando suas tradições e cultura. Conhecer um pouco das especificidades dos Povos Ciganos auxilia no combate à discriminação, preconceito e racismo institucional, propiciando maior visibilidade a este povo e garantindo o acesso a benefícios, serviços e direitos.
O documento é resultado do trabalho realizado pelo Departamento de Proteção Social Básica da SNAS/MDS com a colaboração da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil). Fomentar a aplicação da política pública de assistência social para o Povo Rom – os assim chamados ciganos – no país. 
A AMSK/Brasil agradece a todas/os do Povo …