NÃO HÁ OUTRO NOME; A ISSO CHAMAMOS DE ROMAFOBIA




A pouco tempo atrás, foi a menina cigana pisada nas praças da Grécia e agora .... a menina Maria, a história de contos de fada de uma europa que não reconhece seus filhos de origem cigana.
O Ministério do Interior da Bulgária informou nesta sexta-feira que exames de DNA confirmaram que um homem e uma mulher da comunidade cigana do país são os pais biológicos de uma menina encontrada com ciganos na semana passada na Grécia. http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/10/131025_crianca_ciganos_dna_paternidade_fn.shtml

Maria, a menina encontrada num acampamento cigano na Grécia, não é uma criança desaparecida ou raptada. É filha biológica do casal de ciganos búlgaros Sacha e Atanas Rusev. Os testes de ADN provaram-no. E agora?

“Todos os países envolvidos nesta história são da União Eurpeia. E o caso revela que a Europa não está conciliada com a sua própria realidade.  A Europa é diversa, tem todos os tipos de pele e a maioria dos grupos étnicos do mundo, mas percebemos que a realidade sociológica avançou mas que os nossos estereótipos não se adequam à realidade”, diz o sociólogo Pedro Góis.

E diz mais: “Há na Europa um antagonismo contra os grupos de ciganos, que impede que olhemos para eles como seres humanos iguais a nós. E casos como este, amplificados desta forma pelos media, podem servir de acelerador para os movimentos de extrema-direita pegarem no lado negativo desta exclusão e criarem bodes expiatórios, como já aconteceu no passado.”

Nesse desfasamento, o preconceito ganha e o bom senso perde, como se viu na Irlanda do Norte, onde outra menina loira foi retirada à família cigana com quem vivia, para se provar com ADN que era filha daqueles pais.

Leia mais: http://www.publico.pt/mundo/noticia/maria-e-loira-de-olhos-verdes-e-filha-de-ciganos-bulgaros-pobres-e-agora-1610423#/0

O que nos cabe:
Só nas semanas entre 12 e 24 de outubro, acompanhamos em jornais e redes de televisão de Portugal e Espanha, mais de 6 casos relacionados a discriminação e preconceito com a Romá na Europa.

Verdade seja dita, as colocações que se fazem no Brasil, de toda sorte são iguais as que se fazem por lá e que muito pouca gente deu importância a fala do presidente da França, quando tentou arrumar mais ou menos as coisas em relação ao caso de Leonarda, a menina de etnia cigana arrancada dentro de um ônibus de estudantes, da escola da qual fazia parte.
Triste e feio a relação de países como a Romênia, a Grécia e outros, que fazem de conta que a pobreza e suas conseqüências não passam pela responsabilidade dos governos e pelo seu alto grau de discriminação.
O Bode expiatório de que fala o sociólogo é tão somente a Segunda grande guerra, na qual se matou mais de meio milhão de ciganos.
Vai um alerta para o Brasil, países que costumam jogar seus filhos para debaixo do tapete, fazendo de conta que a pobreza não lhes pertence, cria um submundo, um terceiro e quarto setor que não aparece nas negociações de apoio bancário e nem nas estatísticas.

Crianças são vendidas, mulheres traficadas para a prostituição e muitos países assistem calados ou em boas negociações. Maria é realmente filha de ciganos pobres, seu DNA comprova isso, de uma família absurdamente pobre da Grécia, uma pobreza que a Europa como um todo finge não ver, como a França finge ser socialista e o país da Liberdade, Igualdade e Fraternidade, quando renega segurança a uma criança, única e exclusivamente por ser de etnia cigana.

A exclusão está fazendo com que as famílias casem seus filhos e filhas mais cedo, na tentativa de manterem uma saída para a manutenção e para a sobrevivência dos seus. Isso é realidade. Comunidades ciganas inteiras ficam fora das salas de aula no Brasil, porque não se respeita e não se considera o modo de vida de cada um, sua especificidade e sua história. Tanto o Brasil com sua dimensão continental e sua enorme variável étnica, quanto a Europa que não acredita até hoje em ciganos loiros e de olhos claros, mesmo que nas ruas de Portugal e Espanha se veja claramente sua pele clara e seus olhos verdes, esmolando e tentando sobreviver, são os sobreviventes da Romênia. Lá são a maior minoria étnica dos países que vivem e aqui são provavelmente uma das menores etnias, com aproximadamente de 600 a 800 mil ciganos.

A luta é para que condições iguais sejam dadas e de forma progressiva e constante, a fim de que estejam preparados para o mercado de trabalho apesar da miséria. Assim vemos a Educação que rompe barreiras e abre caminho, mas precisamos que saibam de fato disso e que se abram os livros de história do nosso país para um povo que sempre ajudou na construção dessa nação. Renegá-los a guetos é fácil, mas isso só no princípio, pois qualquer povo empobrecido vai lutar para sobreviver e assim se torna alvo fácil para todo aquele que ganha sobre a miséria alheia.
Programas que não mudem porque o governo mudou, que não acabem porque se precisa economizar, não se economiza a vida alheia e não se rouba o futuro de crianças inocentes.


Leonarda junto a uno de sus hermanos (AFP) http://www.unionromani.org/notis/2013/noti2013-10-21.htm

Leonarda Dibrani, tem 15 anos, a 4 anos estudava na mesma escola e suas notas eram muito boas. Leonarda representa a nova realidade européia. No dia 10 de outubro, a Comisaria de Justicia Viviane Reding, declarou publicamente no parlamento em Estrasburgo: “Estoy avergonzada por haber oído las declaraciones de algunos Diputados”. E completou: “He visitado recientemente un lugar en Bulgaria y he visto que nada menos que 50 000 personas vivían en un área restringida situada en el enclave más pobre del lugar. Si yo me viera obligado a vivir de esa manera, créanme, yo haría todo lo posible para salir de allí.”


De fato, o assunto passa pelo respeito e pela urgência de atitudes mais sérias e pontuais, a história não pode ser esquecida e os bodes expiatórios não podem ser única e exclusivamente os ciganos a detrimento de ações governamentais fantasiosas e racistas.

AMSK/Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

RESOLUÇÃO CONANDA Nº 180 DISPÕE SOBRE A IGUALDADE DE DIREITOS DE MENINAS E MENINOS

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

MANIFESTO EM DEFESA DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA – BPC