Pular para o conteúdo principal

CARTA ABERTA À REVISTA VEJA, por Ruano Berenguel



*** CARTA ABERTA À REVISTA VEJA, por Ruano Berenguel

"É com grande pesar que escrevo para manifestar minha indignação ao ler a matéria da edição 2345, dessa última semana de outubro de 2013, que fala a respeito da situação crítica dos ciganos na Europa e dos atos de roubo praticados por eles por lá, nos últimos tempos.

A matéria é absurdamente tendenciosa, a começar do tìtulo: "Você os teria como vizinhos?", que já deixa claro um suposto risco em ter perto algum indivíduo de origem cigana.

Infelizmente, a revista fez questão de enfatizar um estereótipo que estigmatiza todo um povo, se baseando em fatos isolados da vida de alguns, lá na Europa.

Por desconhecimento e por falta de leitura de mundo ou de informações confiáveis, o jornalista que escreveu a matéria apenas endossou um preconceito enraizado de que é normal pessoas ciganas cometerem furtos e darem golpes. Sem atinar pro fato de que... cometer esse tipo de delito é uma característica ruim inerente aos seres humanos em geral, independente de suas etnias e de seus grupos culturais.

O que as pessoas tem que saber é que: se esse tipo de delito existe, a razão está em fatores SOCIAIS, de problemática bem mais complexa do que apenas o rótulo estipulado pelo preconceito. Pelo fato de que, geralmente, o preconceito é algo burro que só floresce nas mentes medíocres, já que não demanda esforço pra se raciocinar sobre o objeto em questão. Essa questão toda dos ciganos na Europa em situação crítica não é um FATOR CULTURAL, e sim um fator SÓCIO-ECONÔMICO e POLÍTICO, haja visto que estamos falando de um povo perseguido e na marginalidade, empurrado para guetos e tentando sobreviver.

Não estou de modo algum afirmando que as atitudes criminosas dessas pessoas seja justificável, mesmo com tantos fatores a serem analisados, mas apenas estou dizendo que, DIFERENTEMENTE do que a revista publicou (em caráter informativo ou sabe-se lá o quê), ROUBAR e APLICAR GOLPES NÃO É E NEM NUNCA FOI TRAÇO CULTURAL TRADICIONAL DE POVOS CIGANOS, mas sim o resultado de uma problemática social bem mais complexa.

Como pesquisador, digo também que... o jornalista que assinou a matéria não sabe, porque não teve acesso, que: o NOMADISMO dos ciganos é uma característica advinda de séculos de perseguição, que obrigou a uma constante migração. E não de uma estratégia tradicional para mascarar roubos e embustes, como pretensiosamente ele acha, se baseando apenas no que viu isoladamente ou no que ouviu dizer. Não estou dizendo que aquilo tudo é mentira, estou dizendo que... poderiam falar da situação sem generalizar 100% da população cigana e sem ROTULAR toda a cultura.

Logo a PERIGOSA analogia que foi feita de "roubos itinerantes" como sendo "desdobramento moderno do nomadismo inerente à tradição cigana" SOA COMO UM ABSURDO sem igual, embasado numa estereotipação ordinária e medíocre.

E tanto a revista é preconceituosa e abordou o assunto de forma tacanha e limitada que... no mapa onde enumeram a população cigana na Europa usaram como símbolo a BANDEIRA CIGANA, o que DEIXA CLARO a idéia da GENERALIZAÇÃO, afirmando que TODOS os ciganos são perigosos porque são ladrões.

Numa época onde se prima tanto pela EXPANSÃO DO CONHECIMENTO e pela JUSTIÇA, esse tipo de postura por parte de um veículo de comunicação é, no mínimo, DESNECESSÁRIA."


A AMSK/Brasil, compartilha dessa opinião e respeitosamente, replica.

Postagens mais visitadas deste blog

24 DE MAIO - DIA NACIONAL DO POVO ROM (os assim chamados ciganos)

O Dia Nacional do Cigano, 24 de maio, foi instituído por Decreto Presidencial, 25 de maio de 2006, como ação afirmativa para salvaguarda e o respeito a cultura de um povo que faz parte do processo organizativo brasileiro.
As ações da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK) desde o ano 2009 tem se dedicado ao levantamento, sistematização e ampla divulgação de informações sobre o Povo Rom (os assim chamados ciganos) quanto as suas especificidades, tradições, necessidades, condições de vida e obstáculos enfrentados no acesso a direitos fundamentais. E tem pautado os poderes públicos brasileiro para a necessidade do fortalecimento das capacidades dos agentes públicos para interpretação dos direitos e adequação dos serviços relacionados ao atendimento dessa parcela da população brasileira.
A Secretaria de Gestão Estratégia e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou no dia 10 de novembro de 2016, a cartilha Subsídiospara o Cuidado à Saúde do Povo Cigano, elaborada pelo De…

RNPI MANTEM A LUTA EM DEFESA DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Carta aberta ao Ministério dos Direitos Humanos sobre Recomendações ao Brasil feitas no III Ciclo do Mecanismo de Revisão Periódica Universal (RPU) 
A REDE NACIONAL DA PRIMEIRA INFÂNCIA, articulação nacional de organizações governamentais e não-governamentais, comprometida com a defesa e promoção dos direitos das crianças de zero a seis anos de idade, analisando as Recomendações do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas vem expor e requerer o seguinte: 
1. A Revisão Periódica Universal (RPU), criada pela Assembleia Geral da ONU em 15 de março de 2006, pela Resolução 60/251, é importante instrumento para que os 193 Estados membros das Nações Unidas, de forma cooperativa, avancem no cumprimento de suas obrigações de direitos humanos; 
2. Conforme preconiza o artigo 227 da Constituição Federal de 1988, compete à família, a sociedade e ao poder público a proteção integral de crianças e adolescentes no Brasil, além de consagrar nesta Carta Política outras garantias fundamentais como a…

INFORMATIVO ATENDIMENTO A POVOS CIGANOS NO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SUAS

Como desdobramento da Oficina “SUAS e o atendimento a Povos Ciganos”, realizada no dia 28 de junho de 2017, a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social (SNAS/MDS) lança o Informativo “Atendimento a Povos Ciganos no SUAS”com o objetivo de subsidiar os profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no atendimento adequado aos Povos Ciganos, respeitando suas tradições e cultura. Conhecer um pouco das especificidades dos Povos Ciganos auxilia no combate à discriminação, preconceito e racismo institucional, propiciando maior visibilidade a este povo e garantindo o acesso a benefícios, serviços e direitos.
O documento é resultado do trabalho realizado pelo Departamento de Proteção Social Básica da SNAS/MDS com a colaboração da Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil). Fomentar a aplicação da política pública de assistência social para o Povo Rom – os assim chamados ciganos – no país. 
A AMSK/Brasil agradece a todas/os do Povo …